Blue Flower

Seja benvindo(a)!

DIGITE O TERMO NA PESQUISA, APERTE O ENTER E AGUARDE O MELHOR RESULTADO!

 

               

   Por Francisco Augusto de Araújo Lima. Sítio Bom Sucesso, Guaramiranga, Serra de Baturité, 24 de fevereiro de 2019. 30º ano do lançamento do livro Famílias Cearenses Zero – Soares e Araújos no Vale do Acaraú, 1989. Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

  Amaro José da Costa nasceu na Freguesia de Sacramento do Bairro Alto, Lisboa, filho de Domingos da Costa, n. na cidade do Porto, e de Catarina de Sene, n. na Freguesia de Sacramento do Bairro Alto.  

   Amaro casou-se com Josefa Maria de Oliveira nasceu na Freguesia de Jesus-Maria-José, do Pé do Banco, Siriri, Sergipe, filha de Pedro Serrão de Carvalho e de Joana da Silva Melo, naturais de Sergipe Del Rey. Moradores no Sítio das Traíras, Freguesia de Russas, Ceará, onde nasceram doze filhos anotados.

 Filhos: 1.-12.

  1. Maria José da Costa Oliveira 
  2. Luís José Correia da Costa 
  3. Vitoriana da Costa Oliveira 
  4. Cosma da Costa                              
  5. Amaro 
  6. Nicolau 
  7.  Amaro José da Costa Júnior
  8.  Félix
  9. Domingos da Costa
  10. Albina Ferreira da Silva 
  11. Maria
  12. Marta Angélica da Costa de Oliveira

   1. Maria José da Costa Oliveira nasceu no ano de 1735 na Freguesia das Russas. Termo de batismo.“Aos sete de maio de 1735 nesta Matriz (de Russas) eu Cura abaixo assinado batizei e pus os Santos Óleos a Maria filha legítima de Amaro José da Costa e de Josefa Maria; foram padrinhos, Miguel Rodrigues Correia e Margarida Ferreira, filha de Amador Pereira todos desta Freguesia, de eu fiz este assento e me assinei. O Cura João Pereira de Lima.” Cf. LR1-58.

   Dona Maria José casou-se com Bento Bezerra de Menezes, n. em Olinda, Pernambuco, filho de Joana Bezerra de Menezes n. <1680>, em Olinda, Pernambuco, e de João de Souza Pereira, Sargento Mor, n. circa 1675, em Ipojuca, Pernambuco. Neto materno de Bento Rodrigues Bezerra n. <1635>, em Olinda, Pernambuco, casou-se em Olinda, com Petronila Velho de Menezes, n. na Bahia. Neto paterno de João Pereira de Souza Catunda e de Valéria Ferreira.  Filhos 1.1.-1.6. Cf. Francisco Augusto de Araújo Lima. Siará Grande – Uma Província Portuguesa no Nordeste Oriental do Brasil. Editora Expressão Gráfica. Fortaleza. 2016. Vol. I. p. 58. 

1.1. Leonor Bezerra de Menezes, n. 1753, na Freguesia de Russas, foi batizada a 07 de maio de 1753, na Capela do Rosário de Russas. Leonor casou-se a 31 de maio de 1772, na Igreja Matriz de Russas, com o seu tio materno Luís José da Costa, n. <1752>, na Freguesia de Russas, filho de Amaro José da Costa, n. na Freguesia de Sacramento do Bairro Alto, Lisboa, de Josefa Maria de Oliveira, n. na Freguesia de Jesus, Maria, José do Pé do Banco, Siriri, Sergipe Del Rey.

   Filhos: 1.1.1.-1.1.4.

1.1.1 Ana dos Mártires do Espírito Santo nasceu a 10 de maio de 17.?, e batizada a 29 do mesmo mês e ano, na Igreja Matriz de Russas. Termo danificado. D. Ana dos Mártires, branca, de idade 54 anos, faleceu a 03 de março de 1832, e foi sepultada ao pé do Altar do Senhor Bom Jesus da Igreja Matriz de Russas. CD8 L3 Ób 35.

   Ana casou-se a 31 de maio de 1772 na Igreja Matriz de N. Senhora do Rosário das Russas, Ceará, com Francisco Xavier de Miranda Henriques, filho de Antônio José Correia de Sá, n. no Rio Grande do Norte, Militar, Porta Bandeira, e de Ana de Souza Marinho, da Freguesia das Russas. Neto paterno do velho Capitão - Mor Francisco Xavier de Miranda Henriques, que foi governador do Rio Grande do Norte, Ceará e Paraíba e de Maria Cândida. Neto materno de Antônio de Souza Marinho e de Antônia Correia.

   Antônio José Correia de Sá, portanto, irmão do segundo Francisco Xavier de Miranda Henriques, da Paraíba. Existe documento do Arquivo Ultramarino em que ele - Antônio José - diz que o seu procurador em Lisboa é o "seu tio Padre Miguel de Miranda Henrique" (Miguel é irmão desse velho Capitão Mor, ambos filhos de José de Miranda Henriques e de Maria Catarina de Sá e Benevides - neta esta de Salvador Correia de Sá e Benevides, daí o "Correia de Sá") e de Ana de Souza Marinho filha de Antônio de Souza Marinho e de Antônia Correia. Cf. Pesquisa de Rafael Henriques Pimentel de Paula, inédita, e Vicente Miranda, Três Séculos de Caminhada, Ed. Halley, Teresina, 2001, p. 432. 

   Antônio José Correia de Sá, Militar - Porta Bandeira, viveu no Piauí, e a 26 de outubro de 1786, encontrava-se em Sobral, Ceará onde junto com o Frei Miguel, esmoler franciscano, pedia esmolas para um Santo, sendo acusado pelo Ouvidor Geral e Corregedor da Comarca, Manoel de Magalhães Pinto Avelar de Barbedo de provocar desordens. Terminou preso e remetido para Pernambuco. Protegido pelo Governador do Ceará, João Batista de Azevedo Coutinho de Montaury que deu acolhida ao militar Porta - Bandeira e demonstrou hostilidade ao Ouvidor. A tradição confere com as anotações históricas do povo de Sobral, sobre o apelido PORTA. Existe outra versão, que o Padre Francisco Xavier de Miranda Henriques, Padre Porta, possuía poderes, abria PORTAS, com o olhar etc. é mais verossímil esta informação derivada do oficial PORTA BANDEIRA. Havia a dúvida de qual dos dois - Antônio José ou Ana - tinha ascendência Miranda Henriques, agora esclarecida.

   Por notícia documentada, sabe-se que entre os anos de 1751 e 1760, o Capitão Mor Francisco Xavier de Miranda Henriques, residiu no Sítio do Pelo Sinal, Freguesia de Russas, foi Capitão Mor do Aracati, e por várias vezes padrinho, na Caatinga do Góis e na Igreja Matriz de N. Senhora do Rosário de Russas, sendo provável que estivesse acompanhado de sua família ou parte dela, acontecendo de algum dos filhos/as consorciar-se na referida Freguesia das Russas. Ver Monsenhor Francisco Sadoc de Araújo, Cronologia Sobralense, vol. I, Ed. Gráfica Editorial Cearense, Fortaleza, 1974, p. 149,195, 303. Guilherme Studart, Diccionário Bio-Bibliographico Cearense, Fortaleza, Ed. Typo-Lithographia,-1910, Vol. I, p. 210, 269. Vol. II, p. 54. Aureliano Diamantino Silveira, UNGIDOS do SENHOR, Vol. I, Fortaleza, 2004, Ed. Premius, p. 441.

1.1.2. Luíza Francisca do Espírito Santo nasceu a 11 de abril de 1775, e batizada a 04 de maio do dito ano, na Igreja Matriz de Russas. Termo danificado. Luíza casou-se a 10 de janeiro de 1793, na Igreja Matriz de Russas, com Manoel Francisco da Costa Moreira, que nasceu em Pernambuco, filho de Francisco da Costa Moreira e de Josefa Maria de Jesus. Termo de casamento.“Pelas cinco horas da tarde nesta Matriz de Nossa Senhora do Rosário das Russas no dia dez do mês de janeiro de 1793, Manoel Francisco da Costa Moreira natural de Pernambuco, filho legítimo de Francisco da Costa Moreira e Josefa Maria de Jesus, já defunta, naturais e moradores em Pernambuco e Luíza Francisca do Espírito Santo, natural e moradora nesta Freguesia (das Russas), filha legítima de Luís José da Costa e de sua mulher Leonor Bezerra de Menezes naturais e moradores na mesma Freguesia depois de publicados os banhos e feitas as diligências conforme determinação do Sagrado Concílio Tridentimo se receberam com palavras de presente nesta Matriz sem se descobrir impedimento algum e de mim Cura abaixo assinado, e logo lhes dei as bênçãos nupciais conforme o Rito e cerimônia da Santa Igreja já sendo presentes as testemunhas José Antônio de Souza Galvão, solteiro, e Antônio da Silva Francês, solteiro, e para constar fis este assento. Manoel Pereira Dutra, Cura.” Cf. LR4-130v.

Filho: 1.1.2.1. Francisco da Costa Moreira (Neto) casou-se com Maria do Espírito Santo. Ver descendência em Gilson da Costa Moreira, Ribeira dos Icós, Ed. Premius, Fortaleza, 2014. p. 33 e 51 - Teixeira Mendes anotados com detalhes em Francisco Augusto, Siará Grande, op. cit. p. 48.

10º Filho por Amaro José da Costa e Josefa Maria de Oliveira.

10. Albina Ferreira da Silva natural da Freguesia das Russas. Casou-se no ano de 1764, na Freguesia de Russas, com Manoel Antônio Moreira nasceu no ano de 1739, na Freguesia de São Lourenço de Carvide, Leiria, filho de José Moreira e de Maria Domingues. Ver seu irmão José Antônio Moreira. Com geração. Cf. LR1-106,110 - LR6-13v.

12º Filho por Amaro José da Costa e Josefa Maria de Oliveira.

12.  Marta Angélica da Costa Oliveira, natural da Freguesia de Russas. Casou-se a 05 de março de 1764, na Igreja Matriz de Russas, com o Sargento Mor José Antônio Moreira nasceu no ano de <1744> na Freguesia de São Lourenço de Carvide, Carvide, Leiria, filho de José Moreira e de Maria Domingues de Lima, ambos de Carvide, ora da cidade de Leiria. Ver seu irmão Manoel Antônio Moreira. Pais de dez filhos anotados, Costa MoreiraCf. Aracati CD1 L2 Cas. 79. Cf. LR1-46,58,70,83,106,110,122v,139,144,145v  -  LR3-45,105v,147 - LA3-19,22,25v,68,272,789.