Blue Flower

Digite o termo na pesquisa conforme o Sumário atual da terceira etapa. Aperte o enter e aguarde o melhor resultado. Após entrar no tema da publicação, busque a palavra do seu interesse usando as teclas Ctrl + f. surgirá uma barra superior onde se deve digitar a palavra chave, p. ex. "Dummar", logo aparecerá ressaltada, com o número de vezes que se acha no texto. 

 

  Famílias Cearenses & Francisco Augusto de Araújo Lima.

 

 

3ª Parte: De José Ademar de Castro e Melo à Marconi Seabra Lima

 

José Ademar de Castro e Melo Eng.° Agr° 1927, Escola de Agronomia do Ceará. José Adhemar de Castro e Mello, filho de José Pacífico de Mello e de D. Jovelina de Castro e Mello, pernambucanos. J. Adhemar de Castro e Mello aos onze de janeiro de 1928, residia em Fortaleza. José inscrito no Posto eleitoral do Jornal Diário da Manhã, Rua do Imperador, nº 221, Bairro de Santo Antônio, Recife, PE. 07.03.1933 e 15.07.1948.

 José Adriano Lopes Eng.º Agr° 1958. EAIFC. José Adriano Lopes aprovado para a escola de Cadetes do Exército. 05.02.1950. Falecimento de Paulo Lopes, n. aos 14.02.1929, Guaramiranga, filho de José Adriano Lopes Cavalcante n. 23 de agosto e no ano de 1927, residia em sua propriedade, em Pacoti, e de Maria Emília Castelo Branci Lopes. Paulo casara no mês de janeiro de 1923, Fortaleza, com Aldenoura Ponte, pais de Maria Júlia Lopes, cinco anos de idade. 06.06.1929. D. Aldenoura Ponte, filha do Coronel Francisco Porfírio da Ponte. José Adriano Lopes Castelo Branco, cearense, bancário Prefeito Municipal de Limeira, SP, 1957.

José Aírton Accioly Pinheiro, Eng.º Agr 1950. Irmãos anotados de Manoel Eduardo Pinheiro Campos. “Aos vinte e sete de janeiro de 1917, na Capela de Guayuba, filial a esta Matriz de Pacatuba, Arcebispado do Ceará, batizei solenemente o párvulo José, (José Airton), nascido aos dez do mesmo mês e ano, filho legítimo de Jonas Acioly Pinheiro e Maria Dolores Pinheiro, sendo seus padrinhos, João Augusto de Araújo e sua mulher Maria do Carmo Cabral. E para constar mandei fazer este termo que assino. O Vigário Vital Gurgel Guedes.” Cf. Livro de Batismos, Pacatuba.

 

José Aírton Cavalcante Teixeira Eng.º Agr° 1961, EAUFC. José Aírton Cavalcanti Teixeira Aspirante a Oficial do Exército, R/2, convocado a apresentar-se no Quartel General da 7ª RM, Recife, para Estágio de Instrução.
29..10.1962. Convocado comparecer na Receita Federal de Recife, PE.13.09.1970. Cônsul honorário de Belize, em Fortaleza, Ceará, Anuário do Ceará. 2022 - 2023.

José Airton de Almeida Machado Eng.º Agr° 1965, EAUFC. Nasceu em Quixeramobim, filho de Alfredo de Almeida Machado e de Teresa Holanda do Menino Jesus. Neto paterno de Afonso Celso de Castro Machado e de Ana de Almeida Machado (Sinharinha). Airton Sênior casado com Ana Alice Barreto Machado, pais de: 1. Ana Carolina Barreto Machado, e 2. José Airton Machado Júnior, casado com Carolina Nasser. Cf. Raimundo Girão. O Abraão do Jaguaribe. RIC, 1972. p.118. Cf. Fco. Augusto de Araújo Lima, Ipueiras dos Targinos, Famílias Cearenses, 07. Ed. Artes Digitais, 2006. 430 p. José Aírton de Almeida Machado O Eng.º Agr.º Diretor Presidente da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Ceará, EPACE, Av. Rui Barbosa, nº 1246, Aldeota, Fortaleza. 30.04.1984.

José Aírton Ribeiro Portela Eng.º Agr.º 2ª Turma 1977. Filho de Olavo Ribeiro da Silva (Neném Olavo), agropecuarista no Distrito do Olho D´água, e de Adelaide Ferreira Portela, Adelaide Portela Ribeiro, filha de Raimundo Deca Portela e Dionísia Ferreira Portela. 

José Aírton Saraiva Eng.º Agr° 1942, EACE. Concluiu o CPOR em sua primeira turma, ano de 1944, Fortaleza. José Aírton Saraiva Estudante secundarista, simpatizante da Ação Integralista Brasileira. 20.08.1936. Membro do Departamento Provincial Universitário, A.I.B., Fortaleza, 25.11.1937. Nomeado datilógrafo Classe C, Ministério do Trabalho. 31.12.1942 e 1º.01.1943. Eleito Orador da União dos Moços Católicos, Fortaleza, sendo eleitos Presidente da sitada União o Dr. Araken Carneiro e Vice o Dr. Itamar Santiago Espíndola. 14.02.1943. Promovido à 1º Tenente de 1ª Classe o 2º Tenente da Reserva, J. A. Saraiva. 30.06.1945. Exonerado Escriturário Classe E, do Conselho Regional do Trabalho, 7ª Região, Fortaleza. 05.09.1945. Dr. J. A. Saraiva, Congregado Mariano, participa de solenidade na Capela do Colégio da Imaculada Conceição, Av. Santos Dumont, nº 65, Outeiro, (Aldeota), Fortaleza. 16.09.1947. Representante do Banco do Brasil junto a Comissão de Abastecimento e Preço, COAP - Ceará. Fortaleza, 06.02.1955. Aos 05 de outubro de 1956 o Eng.º Agr.º J. A. Saraiva funcionário do Bando Brasil, pede demissão da COAP.

José Albérsio de Araújo Lima Eng.º Agr° 1966, EAUFC. Nasceu a 12 de junho de 1940, em Santana do Cariri, filho do Desembargador Aurino Augusto de Araújo Lima e de Albaniza Pereira Lima. Neto paterno de Augusto Leite de Araújo Lima e de Maria Carolina Dantas Cartaxo. Neto materno de Raimundo Pereira Lima e de Maria Teixeira Lima. Termo de Batismo: “Aos vinte e cinco de agosto de 1940, o Reverendo Padre Raymundo Augusto de Araújo Lima, batizou solenemente na (Igreja) Matriz de Santana, a José Albérsio, nascido a doze de julho do mesmo ano, filho legítimo do Dr. Aurino Augusto de Araújo Lima e Albanisa Pereira Lima, sendo padrinhos, o Padre Raimundo Augusto de Araújo Lima e Argina Leite de Araújo Lima. Do que para constar, lavrei o presente termo que assino. O Vigário Padre Christiano Coelho Rodrigues.” Albérsio casou-se com Diana Maria Caracas de Araújo Lima, pais de três filhos, sendo Diana filha de Roberto Augusto (Fortuna) Caracas e de Francisca Railda Costa Lima Gurgel. Cf. Livro de Batismos, Santana do Cariri. Cf. Francisco Augusto de Araújo Lima, Famílias Cearenses 1, Ed. Premius, Fortaleza, 2001, p. 220.

José Alberto de Souza Teixeira Eng.º Agr° 1947, EACE. Nasceu a 05 de fevereiro de 1923, em Itapipoca. Filho de Raimundo ? Teixeira e de Josefa Rodrigues de Souza. Batizado a treze de junho de 1923, pelo Vigário, Padre José Joaquim da Rocha, sendo padrinhos, João Gonçalves e Joana Ferreira do Nascimento. Cf. Livro de Batismos. Itapipoca. José Alberto de Souza Teixeira Eng.º Agrônomo do IBGE, Responsável pelo Expediente do DGT / 2º DL. 19.11.1964.

José Alberto Magalhães Bastos Eng.º Agr° 1942, EACE. A 23 de novembro de 1983 recebeu o título honorífico de Professor Emérito da Escola de Agronomia UFC. Leonel de Magalhães Bastos e de Maria Lúcia Argolo Caracas de Magalhães Bastos. Cf. Livro de Matrimônios, Ceará, falilysearch.org. José Alberto Magalhães Bastos estudou no Colégio Marista Cearense, onde fez a 5ª Série. 14.08.1936.

     

José Alcino Rittes Alcindo, Eng.º Agr°, Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, ESALQ, 1953. Nasceu (registrado) aos 07 de novembro de 1930, São Vicente, Santos, SP, filho de José Rittes Filho, despachante aduaneiro, Santos, SP, {falecido a 13 de fevereiro de 1957, no Hospital da Santa Casa de Santos, SP.} José Rittes Filho residente em São Vicente, SP, Membro do partido PRP 02.05.1934. Diretor do Clube de Regatas Tumyarú, 22.12.1939 - 03.07.1946}, e de D. Alcinda, Alcina Duarte Rittes n. 25 de agosto de 1906 e falecida a 23 de fevereiro.1993, Santos, SPNeto paterno do Coronel José Rittes nasceu a 31 de julho funcionário da Alfândega, 'Coronel Aduaneiro', faleceu a19.08.1966,era aposentado como Chefe de Seção da Alfândega, Santos, SP. 18.08.1933. Presidente do Clube de Regatas Tumyarú, 02.03.1925. Candidato a Deputado Federal pelo Partido Democrata |Cristão. S. Vicente, Santos, SP. 18.10.1950, e de Maria Teresa de Oliveira Maciel Rittes nasceu 12.05.1879Neto materno de Letícia Souza Duarte e de Francisco Pinto Duarte. O Agrônomo Rittes Rittes é eleito Vice Presidente do Lions Clube, Maringá, PR. 09.07.1959. É eleito no Salão Dourado do Palace Hotel, Presidente do Lions Clube, Maringá, PR. 03.07.1961. Imbróglio da Boate Marrocos, Maringá, 03.02.1962. Os produtores paranaenses de café, solicitam, inclusão do TIPO 07 na comercialização, Londrina, PR 13.07.1064. Presidente da Empresa paulista, JART Planejamento e Desenvolvimento Agroindustrial responsável pela implantação da "Cidade Hortigranjeira", da Grande Natal, primeira cidade hortigranjeira a entrar em fase de produção no Nordeste brasileiro. Natal, RN. 17.04.1979 e 27.02.1980, 24.04.1981. Participa com a sua empresa JART do Projeto Camarão no Rio Grande do Norte. 17.09.1981. O Dr. Rittes também projetou as Cidades Hortigranjeiras de Curitiba, Goiânia, Manaus e MaceióNatal, RN. 17.04.1979. Chefe Geral do Departamento de Assistência à Cafeicultura. Diretor de Produção e Secretário Executivo GERCA, do Instituto Brasileiro do Café, IBC. RJ07.01.1964, 19.03.1965 / 30.04.1967. I.B.C. Av. Rodrigues Alves, nº 129. Bairro do Santo Cristo, Zona Central da cidade do Rio de Janeiro.   José Alcino Rittes casou-se na Igreja de Nossa Senhora de Fátima, Fortaleza, às dez horas do dia 11 de maio de 1963, com Maria Zeneida Câmara, Zoé nasceu a 24 de abril, filha de Plínio Câmara, dono da Fazenda Teotônio, Quixeramobim, Ceará, e de Maria Idelzuíte de Paiva Câmara, Idezite. Neta paterna do Doutor José Bonifácio da Silva Câmara e de Maria Correia da Silva. Neta materna de Juvêncio de Paiva Cavalcante e de Olímpia Correia. Cf. Raimundo Girão. O Abraão do Jaguaribe. RIC, 1972. p.132. Cf. Francisco Augusto de Araújo Lima, Ipueiras dos Targinos, Famílias Cearenses, 07. Ed. Artes Digitais, 2006. 430 p. CF. Hemeroteca Digital, Biblioteca Nacional, RJ.

 

José Alcy Holanda Pinheiro Eng.º Agrº Escola Superior de Agricultura de Mossoró, RN, 1975. Nasceu no Sítio Chabocão, Pereiro, Ceará, aos 14 de fevereiro de 1950, filho de Luís Expedito Pinheiro e de Maria Valda Holanda Pinheiro. Neto paterno de Antônio Pinheiro Maia e de Francisca Maia Pinheiro. Extensionista Agrícola e Supervisor Regional da EMATERCE em Jaguaribe, Iguatu, Orós e Icó. Cf. Adauto Odilon da Silva, Filhos Ilustres do Pereiro, S/E, Pereiro, 1990. 

José Alencar Ramos Eng.º Agr° 1940, EA Ceará. José Alencar Ramos Estudante, simpatizante da Ação Integralista Brasileira. Fortaleza, 20.08.1936. Beneficiado no Sorteio nº 302, Apólices da A Equitativa. 23.06.1960.

José Alfir de Aguiar, Eng.º Agrônomo, Escola Superior de Agricultura de Mossoró, ESAM, UFRN. Nasceu a 16.03.1951, filho de Manoel Nélson de Aguiar e de Maria Lili de Aguiar. Casou-se Alfir, com Maria Albanisa A. Aguiar.

José Alfredo Torres Martins Eng.º Agr.º 1987, CCA / UFC. Nasceu aos 28 de outubro de 1955, filho de Zacarias de Souza Martins e de Mariana de Souza Torres. Neto Paterno de Alfredo de Souza Torres n. 06.07.1874, Nova Russas, Ceará, e de Teresa de Souza Torres, quarta esposa, casada em 17.02.1921José Alfredo casou-se com Artuzinda Silva Serpa n. 13.07.1958, Farmacêutica. Cf. Ismar de Melo Torres. Geneagrafia dos Torres. Gráfica e Editora Ramos, Fortaleza, 1997.

José Almar Almeida Franco Eng.º Agr° 1963, EAUFC. José Almar nasceu em Cascavel, Ceará aos 19 de agosto de 1940, filho de José Martins Franco e de Beatriz Pereira Franco. Técnico do BNB, via concurso público. No ano de 1976, foi cedido a SUDENE, onde exerceu a importante função de Diretor do Departamento de Agricultura e Abastecimento, da SUDENE, 1976 / 07.12.1978. Faleceu em acidente aéreo. O avião Cessna C - 310, DNOCSprefixo PT - FVY, decolou às 19 horas e 15 minutos, do dia 07 de dezembro de 1978, do Aeroporto dos Guararapes, Recife, e logo após caiu no oceano Atlântico, em frente a Praia de Boa Viagem, Recife. A urgência da viagem devia-se ao fato de chegar a Fortaleza, em tempo de assistir ao jogo Fortaleza x Ferroviário, torcedor que era José Almar, do Leão do Pici. Acabara de chegar de Santiago, Chile, e sua esposa, a Senhora Francisca Moreira Franco e o filho, Paulo César Moreira Franco, dez anos de idade, encontravam-se residindo cidade da Fortaleza, pois José Almar iria assumir o cargo de Secretário de Agricultura e Abastecimento, no segundo mandato do Coronel Virgílio Távora, 15.03.1979 / 15.03.1982, nomeado Governador do Estado do Ceará, pelo Presidente João Figueiredo. No triste desastre do Cessna, faleceram cinco pessoas. O Agrônomo José Almar, o Comandante José Raulino Chaves, o copiloto José Maria Raupp, o Eng. Walquírio Londres da Nóbrega e o Economista do BNB cedido a SUDENE, Antônio Alexandre Lima Furtado. Cf. Hemeroteca Digital, Biblioteca Nacional, RJ.

 José Aluísio de Oliveira Eng.º Agr° 1965, EAUFC. Nasceu em Limoeiro do Norte, a 24 de abril de 941. DNOCS, sócio da ASSECAS.

José Amauri Batista Gomes Eng.° Agr° 1954, EACE. João de Oliveira Conde casado com Maria Sabina Conde, pais de Albertina Conde, natural de Maranguape, que se casou a 15.05.1929, com Boanerges Gomes do Carmo, n. Fortaleza, viúvo de Francisca Batista Gomes.

José Ananias Guimarães Eng.º Agr° 1957, Escola de Agronomia do CearáJosé Ananias Guimarães nasceu na Freguesia de Sobral, Ceará, filho de Ananias Gonçalves Guimarães e de Luzia Francisca Pontes, casados a 04.09.1909. Neto paterno de Sabino Gonçalves Feijão e de Florência Gonçalves Ximenes. Neto materno de Frederico Ernesto Pontes e de Maria Elisa Parente. José Ananias Guimarães casou-se a 15 de janeiro de 1958, com Francisca Ribeiro Guimarães, filha de Joaquim Gonçalves Guimarães {2º casamento} e de Maria Nice Ribeiro da Silvam. Neta paterna de Sabino Gonçalves Feijão e de Florência Gonçalves Ximenes. Neta materna de José Artur Ribeiro da Silva e de Patriolina Aguiar Ribeiro. Cf. Monsenhor Francisco Sadoc de Araújo, Cronologia Sobralense, I. U. - UVA, Sobral, 1985, Vol. IV.


       . 

José Anchieta de Moura Fé Eng.º Agr° 1959, EAUFC. Nasceu no ano de 1936, no Piauí, filho do Sr. Manoel de Moura Fé. Estudou no Ginásio Dom Inocêncio, em São Raimundo Nonato, Piauí. José Anchieta de Moura Fé Presidente da União Estadual dos Estudantes, Ceará. 20.11.1958. Membro do Conselho da UNE. 1959Presidente – Associação dos Engenheiros Agrônomos do Ceará. 10.03.1961 / 12.1964. Mestrado pela Arizon States University (1969) e doutorado pela Arizon State University (1971). Pertenceu ao Ministério da Ciência e Tecnologia. Secretário de Agricultura do Piauí. Mestre em Laticínios e Doutorado em Bioquímica Agrícola. Foi Diretor do CNPq e Assessor do Ministro da Ciência e Tecnologia. Professor Aposentado UFC. Diretor do CNPq, 1980/1985. Membro do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq. 06.05.1980. Moura Fé Secretário de Agricultura do Estado do Piauí, Governo Alberto Silva. 06.12.1987. O Professor Moura Fé faleceu em Brasília, a 14 de novembro de 2021, aos 85 anos de idade. Era casado com a Senhora Maria Iramir Feitosa Moura Fé. A filha do casal, Sílvia Feitosa Moura Fé, casou-se às 20h de 21 de maio de 1983, na Catedral de Brasília, com Fernando Antônio, filho de Paulo Cabral de Araújo e de Maria Coeli Brito Cabral, cearenses, casados a 04.09.1945, Fortaleza.


José Andrade Ponte Eng.º Agr° 1937, EACE. Nasceu a 30 de janeiro de 1917, em Fortaleza, filho de Frederico Ferreira da Ponte e de Maria Lehena Andrade. Neto paterno de João Germano Ferreira da Ponte c. 31.05.1883 c. Maria Madalena Bezerra de Araújo. Cf. Monsenhor Francisco Sadoc de Araújo. Cronologia Sobralense. IU.UVA. 1983. Vol. III.  p. 156, e Vol. IV. p.31. José Andrade Ponte participa do 1º Curso Oficial de Classificação Comercial de Algodão. Fortaleza, 07.07.1938. Solidariedade: escreve para a redação do Jornal Tribuna da Imprensa, RJ. 06.10.1954. José Andrade Ponte, faleceu a 21.09.1991. Era casado com Maria Arina Barreira Ponte, n. a 25.06.1919, natural de Jaguaribe, Ceará, falecida a 04.06.1992, filha de Celson Lopes Barreira e de Maria Dulcinéa Pinheiro Barreira. 

José Antônio da Justa Eng.° Agr° pela Escola de Agronomia de Grignon, França. Deputado Provincial. Nasceu no ano de 1832, em Pacatuba onde faleceu a 21 de abril de 1886. Filho de Antônio Gonçalves da Justa nasceu na Freguesia de Santa Maria da Estrela, Arcebispado de Braga, e de Maria Antônia da Silva, Maria Neta, cearense. Neto paterno de Manoel Gonçalves da Justa e de Ana Maria de Jesus. José Antônio da Justa Diretor do Instituto Agronômico da Bahia. Casou-se com Joana Teófilo da Costa e Silva, filha de Manoel Teófilo Gaspar de Oliveira e de Pulquéria Isabel Barroso. José Antônio e Joana Teófilo, pais de cinco filhos. Cf. Barão de Studart, Dicionário Bio - Bibliográfico Cearence. Typo – Lithografia, Fortaleza, 1913. Vol. II. p. 59.

José Aristóbulo de Castro Filgueiras, José Aristóbulo Filgueira de Castro Eng.° Agr° 1921 EACE. Nasceu em Iguatu a 28 de agosto de 1897. Funcionário do Ministério da Agricultura, alcançando o cargo de Diretor no Estado do Ceará. José Aristóbulo de Castro Filgueiras, transferido do 4º Distrito da Inspetoria Agrícola para o Quinto Distrito. Técnico da Diretoria de Fomento Agrícola. 10.09.1933. Chefe da Estação Experimental de Cana de Açúcar, Barbalha, Cariri cearense. 11.04.1937. Inspetor Agrícola Federal, Ceará. Diretor Geral da Agricultura. Fortaleza, 12.04.1938. Serviço de Economia Rural, Departamento de Cooperativismo. 29.08.1943. Em avião da Cruzeiro do Sul, viaja Rio de Janeiro / Curitiba, PR. 28.02.1946. Toma posse no cargo de Diretor do Serviço de Revenda de Material Agropecuário. 31.01.1964. Nomeado Delegado Regional do Instituto Brasileiro de Reforma Agrária, IBRAR - Nordeste. 17.09.1966. Representa o IBRAR - Nordeste junto a Companhia Auxiliar de Prestação de Serviços Para a Agricultura do Nordeste, CAPSE. 09.05.1967.

José Arlindo Gondim Eng.° Agr° 1942, EA CearáJosé Arlindo Gondim nasceu aos 29 de abril de 1920, e foi batizado em casa particular, Fortaleza, aos 03 de maio do mesmo ano de 1920, pelo Padre Guilherme Vassen, sendo seus padrinhos, Arlindo Grangeiro Gondim e Ana Leite Gondim. José Arlindo, filho de José Leite Gondim Filho n. Aracati, e de Maria de Lourdes Hermes Gondim, n. Aracati, casados aos 25 de julho de 1919, em casa particular, Fortaleza. Neto paterno do Dr. José Leite Gondim e de Maria Barbosa Gondim. Neto materno do Tenente Coronel da Guarda nacional, Arlindo Grangeiro Gondim e de Guilhermina Hermes Monteiro. José Arlindo estudou no Colégio Cearense, Marista, Fortaleza, Humanista, 24.11.1936. Concluiu CPOR na primeira turma, Fortaleza. Promovido de Aspirante a Oficial ao Posto de 2º Tenente da Reserva de 2ª Classe. 05.06.1945. Pleiteia a realização da Convenção Nordestina de Esperanto, em Fortaleza, no de 1956. 16.10.1955. Participa da fundação do 1º Comité Pró Candidatura do Marechal Lott, (Henrique Teixeira Lott) em Fortaleza. 31.07.1959. Eng. Agrônomo da Comissão Técnica de Piscicultura do Nordeste, DNOCS, criada aos 12.10.1932

O avô materno de José Arlindo, o Tenente Coronel da Guarda Nacional Arlindo Grangeiro Gondim, descendente de Albano Pereira Grangeiro que nasceu à 1º de março de 1733, no Concelho de Angra do Heroísmo, Ilha Terceira, Região Autônoma dos Açores. O Tenente Coronel Arlindo construiu no ano de 1912, a sua residência, um belo casarão, na Rua General Sampaio, nº 1406, (já demolida), lado da sombra, entre a Rua Pedro I e a Av. Duque de Caxias, encravada em vasto terreno, que se estendia até a Rua 24 de Maio. O Sr. Arlindo Grangeiro Gondim, natural do Aracati, era próspero comerciante, dono de uma marmoraria e da Companhia de Bonde Puxado a Burro, Coletor de Renda Federal e Intendente Municipal da Parangaba (1904), Sub Delegado, membro da Sociedade Cearense de Agricultura. Era casado com Dona Guilhermina Hermes Monteiro, nasceu aos 03 de novembro, filha de Raimundo Francisco Carneiro Monteiro e de Guilhermina de Lavor, ambos da Freguesia de Nossa Senhora da Expectação do Icó, CearáCf. Blog do Jornalista Lauriberto Braga. Cf. Livro de Batismos e Livro de Matrimônios, Ceará, familysearch.org. Cf. Siará Grande, op. cit. 2016. Cf. Hemeroteca Digital, Biblioteca Nacional, RJ.

Cf. Jornal O Imparcial, 11.10.1928.

 

José Arraes de Alencar Sobrinho Eng.° Agr° 1958. Nasceu no Crato a 22 de outubro de 1933. José Arraes de Alencar Sobrinho casou-se às 17 horas do dia 13 de junho de 1959, na Capela da Ordem Terceira do Carmo de Recife, com a Senhorita Marly Ferreira Dantas, filha do Advogado José Ferreira Dantas e de Esmeraldina Ferreira Dantas, em cuja residência, à Av. Getúlio Vargas, nº 14, Curado, Recife, aconteceu a recepção dos convidados. Foram Padrinhos, (do noivo), Sr. e Sra. Miguel Arraes de Alencar, Sr. e Sra. Valdir Ximenes de Farias, Sr. e Sra. Clóvis Arraes Maia, Sr. e Sra. José Padereswiki, Sr. e Sra. Ernani Brigido e Silva, Sr. e Sra. José Alencar Lima, Sr. e Sra. Waldir Duarte de Araújo. Da noiva: Sr. e Sra. Emanuel Arraes Alencar, Sr. e Sra. Milton Ferreira Dantas, Sr. e Sra. Augusto Otaviano de Souza Neto, Sr. e Sra. Waldecy Cavalcante Barreto, Sr. e Sra. Marcelo José do Amaral Correia de Araújo, Sr. e Sra. Thessalônico de Albuquerque Caldas, Sr. e Sra. Helder Nunes Gonçalves de Oliveira, Sr. e Sra. Adelino Gonçalves. José A. de A. Sobrinho  participa do 1º Curso de Colonização, CRC, no CETREINO, Cidade Universitária, Recife.13.08.1961. Cf. Livro de batismos, Crato, 1933 não disponível. Cf. Hemeroteca Digital, Biblioteca Nacional, RJ.

José Ataliba Diógenes Eng.° Agr° 1938. Participa de movimento da Ação Integralista Brasileira. Fortaleza, 20.08.1936. José Ataliba Diógenes Participa da criação da Prefeitura Particular de Fortaleza, para cumprir a inoperância da Lei. Parque São José 17.03.1957. Casou-se com Levina Ribeiro Ferreira Diógenes, pais de três filhos. Cf. Hemeroteca Digital, Biblioteca Nacional, RJ.

.José Augusto de Morais Lima Eng.° Agr° e Bacharel em Direito ambos no ano de 1935. Nasceu a 24 de novembro de 1911, em Fortaleza. Move Ação Judicial contra o Governo do Estado do Ceará. 30.11.1957. Zequinha para os íntimos, Agro Bacharel como se auto intitulava, mantinha em sua residência um Bar denominado Maracangalha, com direito a tira- gosto. 08.05.1960. Afonso Lima e de Elvira Moraes.

José Augusto Lopes Menezes Eng.º Agr° 1960, EAUFC.

José Augusto Russo Eng.° Agr° 1962, EAUFC. Candidato a aluno da Escola Preparatória de Cadetes do Ar de Barbacena, MG. 10.12.1953.Extensionista Agrícola EMATERCE. Supervisor Região Baturité. Centro de Treinamento Extensão Rural, Caucaia. Participou do Curso Regular Sobre Desarrollo Rural, IICA, Colômbia, 1967. J. A. Russo casou-se com Sônia Maria Rola Russo, filha de Raimundo da Cunha Rola e da Dra. Maria Eulália Odorico de Moraes. Antônio Russo Sobrinho c.c. Cândida Queiroz Russo, pais de Ruth, n. 06.03.1925. Padrinhos, Estevão Mosca e Amália Mosca de Carvalho.

José Augusto Sampaio Eng.º Agr°. Casou-se com Leonília Ribeiro Montenegro, filha de Antônio Ribeiro Brasil Montenegro e de Maria d’Ávila. Raimundo Girão. Famílias de Fortaleza. I.U. UFC. Fortaleza. 1975. p. 139.

José Augusto Silva Eng.° Agr° 1938, EACE. Recebe Título de Eleitor. Fortaleza, 31.10.1929.

José Avelino Portela Graduado com mais sete colegas, Engenheiro Agrônomo, 1ª turma formada pela Escola de Agronomia do Nordeste, cidade de Areia, Paraíba, em 1º de dezembro de 1940. Presentes o Interventor Federal na Paraíba, Rui Carneiro, o Secretário de Agricultura Dr. José Guimarães Duque. José Avelino Portela nasceu aos 29 de agosto de 1914, em Sobral, e residiu no Município de Ibiapina, Planalto da Ibiapaba, Ceará, filho de Avelino Machado Portela e de Joana, Josina Ferreira Portela. José Avelino Portela assina manifesto com outros, contra a extinção do curso Pre - Jurídico, PRE. Fortaleza, 18.08.1936. Detido por ser 'agitador' Integralista, na Fazenda São Rafael, Paraíba, 26.03.1938.  Vice Presidente da Comissão Executiva do Partido Social Democrático, PSD, de Ibiapina, Ceará. 16.06.1945. Idem de Anacetaba, São Gonçalo do Amarante, Ceará. 12.12.1945. Transferência de Engenho de Rapadura, do Sr. Manoel Cândido Gomes, para o Dr. José Avelino Portela, Ibiapina, 23.01.1946José Avelino Portela Eng. Agrônomo da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Ceará, Técnico do Convênio Plano de Renovação de Cafezais - IBC, / SAAB, Ibiapaba, 1972, 1976. Cf. Seis trabalhos Cafeicultura Cearense, 1965 / 1992, por Francisco Augusto de Araújo Lima. Cf. Hemeroteca Digital, Biblioteca Nacional, RJ.

       José Avelino casou-se a 19 de março de 1942, na Igreja de Nossa Senhora do Rosário, Catedral Provisória, com Maria Sinhá Soares, de 21 anos de idade, nasceu aos 16 de novembro de 1921, em Ibiapina, filha de Álvaro Soares e Silva e de Maria de Lourdes Aragão. Termo de casamento: Aos dezenove dias do mês de março de 1942, nesta Igreja de Nossa Senhora do Rosário, Catedral Provisória, depois de três publicações dos proclamas, tendo o nubente apresentado certidão de batismo do Curato da Catedral de Sobral, e a nubente certidão de batismo da Paróquia de São Pedro de Ibiapina e documentos de proclamas em Sobral, e não havendo impedimento algum, em presença do Reverendo Padre Pio Pinho de Oliveira e das testemunhas Luís Vetson Lopes, Rui Monte Soares, Ilza Monte Soares e Mírian Melo Aragão, receberam-se em matrimônio José Avelino Portela e Maria Zinha Soares, ele solteiro, com vinte e oito anos de idade, filho de Avelino Machado Portela e de Josina Ferreira Portela, nascido a vinte e nove de agosto de 1914, na Paróquia da Sé do Bispado de Sobral e residente no Curato da Sé do Arcebispado de Fortaleza, e ela, solteira com vinte e um anos de idade, filha de Álvaro Soares e Silva e de Maria de Lourdes Aragão Soares, nascida a dezesseis de novembro de 1921, na Paróquia de Ibiapina, Bispado de Sobral, e residente na mesma Paróquia e no mesmo Bispado e lhes dei a Bênção nupcial. E para constar mandei lavrar este termo em que assino. O Cura Monsenhor Luís Carvalho Rocha.” Cf. Livro de Matrimônios, Ceará, familysearch.org. Ver Livro Matrimônios, Coreaú, Franklin Machado Portela f. Raimundo Machado Portela. Cf. Monsenhor Francisco Sadoc de Araújo. Cronologia Sobralense. IU. UVA. 1979. Vol. II. p. 244. Ver nesta Página Famílias Cearenses, ORIGEM da Família Machado Portela.

José Bernardino Parente nasceu em Ubajara, Planalto da Ibiapaba, Ceará, Engenheiro Agrônomo, 1ª turma formada pela Escola de Agronomia do Nordeste, Areia, Paraíba, em 1º de dezembro de 1940. Filho de João Rodrigues dos Santos e de Júlia Gomes Parente. Casou-se com Nadir Quezado Parente.

José Bonifácio Paiva Câmara Eng.º Agr° 1950, EACE. Nasceu em Maranguape, a 05 de julho de 1923, filho de Plínio Câmara, Fazenda Teotônio, Quixeramobim, e de Idelzuíte de Paiva. Neto paterno do Doutor José Bonifácio da Silva Câmara e de Maria Correia da Silva. Neto materno de Juvêncio de Paiva Cavalcante e de Olímpia Correia. Paiva Câmara casou-se com Teresinha da Silva, pais de quatro filhos. Raimundo Girão. O Abraão do Jaguaribe. RIC, 1972. p.132. Cf. Fco. Augusto de Araújo Lima, Ipueiras dos Targinos, Famílias Cearenses, 07. Ed. Artes Digitais, 2006. 430.

 

 

 Carnaubeira: árvore símbolo do Ceará 

 

José Borges dos Santos Eng.º Agr° 1948, EA do Ceará. Nasceu em Parnaíba, Piauí. Casou-se em Roraima com a Professora Maria das Graças Souto Maior Lago dos Santos, pais de seis filhos, inclusive, José Borges dos Santos, Júnior, n. a 17.04.1956, Embaixador do Brasil na Suíça. https://folhabv.com.br/noticia/Conheca-a-historia-do-roraimense-que-e-embaixador-na-Suica/43299

José Braga Paiva Eng.° Agr° 1962, EAUFC. Professor Fitotecnia, CCA/UFC. José Braga Paiva coordena estudos agronômicos sobre o marmeleiro - do - mato, Cydonia oblonga. 18.11.1979. Diretor do CCA, 16.11.1980. Coordena o Projeto Fazendinha, Projeto Modelo de Exploração Agropecuária Para Pequenas Propriedades Familiares do Semi - Árido Nordestino. 30.05.1984.

José Carneiro Leite Eng.º Agr.º na Secretaria de Agricultura Familiar, SAF. Paço do Lumiar, Maranhão. Casou-se com Maria Nei Soares Melo, filha de Inácio Cavalcante Melo Júnior n. 05.06.1916, e de Antônia Soares de Oliveira n. 29.04.1924. Cf. Ismar de Melo Torres. Histórico de Crateús. S. E. Sem Data. Ceará Década de 1990/1999.
Cf. Hemeroteca Digital, Biblioteca Nacional, RJ.

 

José Braz Matiello nasceu aos 03 de novembro de 1943, em Santa Teresa, Espírito Santo, filho de Augusto Atilio Matiello nasceu aos 25 agosto 1911, na Freguesia de Santa Teresa, ES, e de Eliza Bosa Matiello nasceu aos 27 novembro 1908 em Freguesia de Santa Teresa, ES, casada aos 07 agôsto 1933, em em São João de Petrópolis, ES. Neto paterno de Luciano Mattiello nasceu em 10 janeiro 1885 em Verona, Italia, e de Ottavia Toso nasceu em 26 junho 1887 em Villanova del Ghebbo, Rovigo, Italia. José Braz Matiello estudou o Agro - Técnico na Universidade de Viçosa, MG e graduado Eng. Agrônomo na dita Escola de Agronomia da Universidade de Viçosa, 1965. Casou-se Braz Matiello com a Senhora Alvadir Maria Estevão Matiello, pais de dois filhos médicos, um residente em Boston, EUA, e a outra filha, mora em Barcelona, Espanha. Cf. Informações José Braz Matiello, 2022. Cf. Miscelânea de Famílias - Chi sono i nostri antenati. http://www.familiaandrich. com/familia/pafg299.htm#9012

  José Braz Matiello pesquisador MAPA / Fundação do PROCAFÉ, é um dos responsáveis pela moderna cafeicultura brasileira. Técnico Agrícola e Eng.º Agr.º, 1965, ambos cursos pela Universidade Federal de Viçosa, MG. O Eng.º Agr.º Matiello em visita ao Estado do Ceará, afirmou que o Plano de Renovação e Revigoramento de Cafezais já transformou as regiões cafeeiras cearenses, notadamente pela introdução de técnicas novas e a valorização das terras e da mão de obra. 1º.05.1973. Dr. Matiello chefia a Delegação Brasileira na visita as Cooperativas, de Angola, África. Revista Manchete. Participa do VIº Congresso de Pesquisas Cafeeira, Ribeirão Preto, SP, cujo tema principal é a Ferrugem, Hemileia vastatrix. 26.10.1978. Eng.º Agrº Chefe do Departamento de Pesquisas Tecnologia do IBC, Rio de Janeiro. 08.10.1984. Chefe do Departamento de Pesquisas Tecnológicas do IBC, Rio de Janeiro, planeja introduzir no Norte Fluminense, RJ, o café Conilon {Kouiliou, Robusta}, Coffea canephora. 04.10.1985. Coordenador do PROCAFÉ, Ministério da Agricultura. 06.01.1997, 24.02.1997.  José Braz Matiello, "um dos maiores Eng.º Agrônomo do Brasil", propõe a implantação de um polo cafeicultor no Norte Fluminense, RJ. 1º.02.1999. Sob a Coordenação do Dr. Matiello, empresários do Sul do Brasil e de Angola, uniram-se com a participação do Dr. Camillo Calazans, Presidente do IBC, e do Dr. Sylvio Farias, para tornar a Bahia um grande centro produtor de café Cf. Revista Manchete1968 - 1968 Treinamento em Cafeicultura. , Instituto Brasileiro do Café, IBC, Brasil. 1967 - 1967 Bioquímica Geral, Universidade Federal de Pernambuco, UFPE, Brasil. 1965 - 1965 Extensão Agrícola. , Universidade Federal de Viçosa, UFV, Brasil.

     
Ascendência: Atílio MATTIELLO nasceu aos 24 de julho de 1888, na Comuna de Di Soave, Província de Verona, Itália, filho de Giovanni Matiello e de Margheritta Sita, vinicultores. Fonte: http://www.familiaandrich. com/familia/pafg299.htm#9012
Itália Matiello - reza-se Missa por sua alma no Convento São Francisco. Victória, ES, 04.05.1892. Cyrillo Matiello, 1922, Cyrillo, brasileiro, residente no Córrego do Veado, município de Pinheiros, Espírito Santo, solicita permissão para abertura de firma individual, de secos & molhados, com o capital de 5:000$000. 07.05.1924. Frederico Matiello, Ministério da Guerra, 4ª Região Militar, 12º Circunscrição Militar. Cachoeiro do Itapemirim, Jornal Cachoeirano, 10.03.1918. Frederico Matiello. Edital de Convocação dos Sorteados, Município de Cachoeiro do Itapemirim, ES, para o 1º Grupo, destinados ao 50º Batalhão de Caçadores. Frederico deverá se apresentar até o dia 31 de janeiro de 1920, Cachoeiro do Itapemirim, ES. 18.01.1920. Paulo Matiello: legitimação de terra, Santa Tersa, no lugar Nova Valsugana, 20.04.1923. Município de Santa Teresa, venda de terras do ESTADO. Ângelo Matiello e Cyrillo Matiello, requerem compra de 30 hectares de terra, no lugar denominado Valsugana. 21.09 1924. Espólio de Aurélia Angelli Matiello (casada com Ângelo Matiello) e Isabel Matiello. Santa Teresa, ES. 09.01.1936. Ângelo Matiello casado com Aurélia Angelli Matiello, pais dos filhos: Isabel Matiello, falecida e os de menor de idade, Alzira Eulália, Agnezi, Maria, Varmelina e Abílio Matiello, todos residentes no lugar Nova Valsugana, Distrito da sede, Santa Teresa, ES. 05.12.1936.

José Campos Acioli Eng.° Agr° 1950, EACE. Ver José Airton Campos Acioli.

José Carlos Cavalcante de Saboia Filho Eng.° Agr° 1947, EA do Ceará. Nasceu em Crateús, filho de José Carlos Cavalcante de Saboia e de Francisca Pereira de Farias, pais ainda do Professor Boanerges Cisne Farias de Saboia, n. 28 de outubro de 1913, Crateús, CearáJosé Carlos Cavalcante de Saboia Filho casou-se com D. Maria Augusta Teixeira Lima de Saboia, pais de Sylvio Thadeu Teixeira de Saboia que se casou aos 13 de dezembro de 1984, em Niterói, RJ, com Waldilea da Silva Sampaio, filha de Homero Medeiros Sampaio e de Djanira da Silva Sampaio. Cf. Hemeroteca Digital, Biblioteca Nacional, RJ.

José Carlos Lopes Randal Pompeu Eng.° Agr°, 1958, EA do Ceará. Nasceu a 10 de junho de 1933, em Sobral, Ceará. Filho de Randal Pompeu de Saboia Magalhães e de sua primeira esposa Hilda Mendonça Lopes. Neto paterno do Doutor João Pompeu de Souza Magalhães e de Jacinta Viriato de Saboia. Neto materno de Antônio Manoel Lopes Cavalcante Filho e de Maria Petronília de Mendonça. José Carlos casou-se com Helena Gurgel, filha de José Gurgel do Amaral e de sua segunda esposa Zuila Ribeiro Gurgel. José Carlos Lopes Randal Pompeu 2º Tenente R2, convocado a apresentar-se no 23º Batalhão de Caçadores, Fortaleza, 02.06.1956Cf. Monsenhor Francisco Sadoc de Araújo. Cronologia Sobralense. IU. UVA. 1990. Vol. p. 91. 

José Carlos Pessoa Martins Eng.° Agr° 1951, EACE. Nasceu em Granja, Ceará, a 08 de abril de 1924, filho de Francisco Martins dos Santos e de D. Regina Pessoa Martins. Técnico da Secretaria de Agricultura e Obras Públicas do Estado do Ceará, SAOP, Departamento de Agricultura, Chefe: Dr. Manoel Araripe Lopes, 13ª Região, sede Granja, Chefe Dr. José Carlos Pessoa Martins. 29.10.1961 e 25.02.1962. José Carlos Pessoa Martins irmão de Lauro Pessoa Martins que foi aluno da Escola de Agronomia do Ceará, ano de 1936, e não concluiu o curso como os seus colegas, Rui Simões de Menezes, 1937, Ésio Pinheiro, 1940, e outros. Auditório José Carlos Pessoa Martins, na sede da Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA).

José César Nóbrega Eng.° Agr°, 1950, Escola de Agronomia do Ceará. Janete César Nóbrega = José César Nóbrega - inscrito para o  vestibular da Escola de Engenharia de Pernambuco. 16.02.1951. O Eng. Agrônomo da ANCAR Ceará, J. César Nóbrega, participa de reunião com técnicos da ANCARPE, SUDENE e USAID, visando avaliar bolsistas dos EUA. 04.06.1966.

José Chaves Cunha Eng.º Agr° 1937, E. A,. do Ceará. Nasceu em Limoeiro do Norte. Diretor Geral do Tesouro do Estado do Ceará. José Chaves Cunha participa da excursão dos concludentes Agronomia de 1937, à Ribeira do Jaguaribe. 16.05.1937. Graduado no dia 13 de novembro de 1937, às 20 horas no auditório da Escola Normal Dom Pedro II, Av. Santos Dumont, Outeiro, atual Aldeota, Fortaleza, cujo nome passou a ser E. N. Justiniano de Serpa, no ano de 1938. Às sete horas da manhã aconteceu a missa da benção dos anéis, na Igreja de Nossa Senhora do Patrocínio, Rua Guilherme Rocha, Praça José de Alencar, Fortaleza. O Eng. Agrônomo José Chaves Cunha identifica uma mutação somática na piña, pinha, fruta - do - Conde, ateira, Annona squamosa, uma exótica, introduzida na Fazenda Modelo, Itapaí, Redenção, Secretaria de Agricultura e Obras Públicas do Ceará, no ano de 1938. O Dr. Chaves Cunha através de enxerto com borbulhas retiradas de um galho da planta mutante, resultou - dezesseis meses depois - em um exemplar que gerou um fruto aspérmico, sem sementes, originando a Ata do Cearáata sem sementes, Annona squamosa var. apyrena BragaMeados de 1940. Diretor do Departamento de Agricultura, promove o incremento agrícola no CRAJUBRA, Crato, Juazeiro  do Norte e Barbalha. 05.08.1952.

    O Ministério da Agricultura, mantinha campos de produção de mudas e bancos de sementes, em: Itaperi, Parangaba, cedido ao Estado do Ceará para servir de Campus a UECE. Em meados da década de 1940/1949, era Eng. Agrônomo residente no Itaperi, o Dr. José Dário Soares, também professor da EAUFC e Diretor do Instituto de Tecnologia da citada Escola de Agronomia. Campo na Guaiúba, também cedido a UECE. Campo da Batalha, Guaramiranga, cedido a SEMACE. Campo da Granja, Pacoti, Agrônomo Chefe Dr. José Joaci Pereira, cedido a SEMACE. Um Campo entre os municípios de Mulungu e Aratuba, Serra de Baturité. O DNOCS deu importante contribuição via instalação, 1911, do 1º Horto Florestal em área Nordestina, sob a direção técnica do Botânico Alberto Lofgren, (observar que o Horto Florestal de Juazeiro, Bahia foi contemporâneo a este). Ficus benjamina (originária da Malásia, ornamental que caiu em desuso por ter sistema radicular prejudicial as edificações e suas folhas serem infestadas pelo 'lacerdinha' Gynaikothrips ficorum, insuportável ao cair nos olhos), e o eucalipto, até então praticamente desconhecidos no Ceará, mantendo o Horto um bosque de doze hectares com estas e outras espécies florestais. Nos anos seguintes maiores ainda os benefícios prestados por aquela dependência da Inspetoria de Secas, (IFOCS, DNOCS). A distribuição gratuita de mudas ascendeu a 38 313 em 1913, e a 72 010 em 1914, avultando as de e Eucalipto, Eucalyptus, casuarina, Casuarina equisetifolia. Cf. José Bonifácio de Souza, Quixadá de Fazenda a Cidade, IBGE, 1960. A SAOP, Secretaria de Agricultura e Obras Públicas, mantinha Fazenda Modelo em Itaperi, Redenção, sopé oriental da Serra de Baturité, com excelentes instalações, valioso banco de sementes de plantas nativas, onde foram introduzidas frutíferas exóticas. Por determinação política foi decaindo até ser "grilada" e hoje devastada. Ainda mantinha a SAOP Fazenda Modelo em Quixadá, com Casa Grande, residência de Verão do Governador, (1971/1975). O Eucalipto foi introduzido no Ceará pelo Padre Senador Tomás Pompeu de Souza Brasil, {*1818 e +1877}, trouxe sementes da Argélia e as distribui à municipalidade da Fortaleza. E depois via Horto Florestal de Quixadá, DNOCS, 1911. Cf. Renato Braga, Plantas do Nordeste, Especialmente do Ceará. Ed. Centro de Divulgação Universitária. Fortaleza. 1953. (Imprensa Oficial do Ceará). 1ª Edição.

   No Ceará cultivou-se fruteiras exóticas: originárias da Ásia: Mangueira, Mangifera indica,  predominavam as variedades - espada, manguita, itamaracá, jasmim, bola de ouro, coité, rosa. Ainda da Ásia, cultivava, carambola, Averrhoa Carambola, groselha, Phylanthus acidus, laranja doce, Citrus sinensis, limoeiro, Citrus Limonium, tamarindo, Tamarindus indica, tangerina, Citrus nobilis, originária da China. Do México e América Central, importou-se: ateira, Annona squamosa var. apyrena Braga, sapotizeiro, Manilkara zapota, Achras Sapota, gravioleira, Annona muricata, mamoeiro, (MAMÃO - por lembrar um seio agigantado), Carica papaya, abacateiro, Persea americanaLaurus persea, abacaxi, Ananas sativus, bananeira, Musa paradisiaca. Cirigoela, sirigoela corruptela de CIRROELA, CIRUELA, em espanhol do México, nome vulgar da Spondias purpurea. Introduzida no Ceará no ano de 1938, logo passou a SIRI + GOELA, no modo peculiar do cearense nomear as coisas. GOELA e não como a elite dicionarizou. Cajarana, Spodias cytherea, veio da Polinésia. Romã, Punica Granatum, da Pérsia. Cajazeira, Spondias Mombim, cosmopolita tropical. O coqueiro, Cocos nucifera(Var. Gigante) pelo risco que oferecia a queda dos frutos das suas  altas copas de 18 m de altura, não era cultivado em quintal. Com o advento no Brasil, 1920, do coqueiro anão precoce, (Var. Nana), possibilitou pelos anos cinquenta, do século XX, o seu plantio, em áreas habitadas. Cf. Renato Braga, Plantas do Nordeste, Especialmente do Ceará. Ed. Centro de Divulgação Universitária. Fortaleza. 1953. (Imprensa Oficial do Ceará). 1ª Edição.

José Clóvis Mota de Alencar Eng.º Agr° 1944. Autor de DATUM ALTIMÉTRICO BRASILEIRO. IBGE, Rio de Janeiro, 1990. Jornal Diário de Notícias. RJ. 11.06.1945. Embarcado em avião da Cruzeiro do Sul, Rio de Janeiro / São Paulo. Jornal Diário de Notícias. RJ. 28.06.1946. Embarcado em avião da Cruzeiro do Sul, Rio de Janeiro /  Idem, 06 de abril de 1949. Jornal Diário Carioca. 31.03.1960. Engenheiro Agrônomo José Clóvis Mota Alencar, representa o Ministério da Agricultura / Instituto  Brasileiro de Geografia e Estatística, junto aos Ministérios da Saúde e da Aeronáutica. Jornal Gazeta de Notícias. RJ. 11.07.1945. Embarque em avião da Cruzeiro do Sul, Rio de Janeiro / Florianópolis, SC. José Clóvis Mota de Alencar Viaja do Rio de Janeiro para Florianópolis, SC. 11.07.1945. Do RJ para Fortaleza, em avião da Cruzeiro do Sul. 06.04.1949. Técnico do IBGE, membro da Comissão de Tombamento dos Danos Causados à Propriedade Privada pelas Inundações no Vale do Jaguaribe. 31.03.1960. Participa do 3º Congresso Brasileiro de Cartografia, sob patrocínio da Sociedade Brasileira de Cartografia e SUDENE, em Recife, PE. 25.07.1967. Representante do Brasil na Comissão de Cartografia do Instituto Pan - Americano de Geografia e História da Organização dos Estados Americanos, OEA. 11.12.1979. Técnico do IBGE comemora em Fortaleza e Brasília os 40 anos de GEODÉSIA. 11.10.1985.

José Correia de Alencar Eng.º Agr° 1939, Escola de Agronomia do CearáJosé Correia de Alencar agente autorizado da "fábrica de casimira" RENNER, do Rio Grande do Sul. 23.07.1933.  Reorganizada a Sociedade Cearenses de Agronomia, sendo eleito o Agrônomo José Correia de Alencar 2º Tesoureiro, e Presidente, o Dr. Raimundo Renato de Almeida Braga. 07.03.1945. Chefe do Serviço Florestal, Ministério da Agricultura, Estado do Rio Grande do Norte, promove a Semana da Árvore. 11.09.1959. Cuida com aval do Governo do Estado, do reflorestamento de 100.000 hectares na Chapada do Apodi, RN - divisa com o Ceará. 06.11.1959. Chefe do Horto Florestal, Ministério da Agricultura, de Açu, RN. 14.01.1962. Inspetor do Serviço Florestal, Ministério da Agricultura, Natal, RN, onde realizou belíssimo trabalho de orientação ao plantio da ALGAROBA, Prosopis juliflora. 25.11.1962. Eleito membro do Conselho Deliberativo do "Centro Cearense do Rio Grande do Norte". 20.11.1970. Aposentado a pedido do Ministério da Agricultura. 05.08.1971.

José Correia Leitão Eng.º Agr° 1940, EA do Ceará. José Correia Leitão residente em Boa Viagem, Ceará. 16.10.1930. O Comando do 23º Batalhão de Caçadores notifica para comparecer na sua sede. Fortaleza, 08.12.1936. Nomeado para exercer interinamente o cargo de Eng. Agrônomo Classe G, Ministério da Agricultura. 20.11.1942.  

José da Fonseca Tinoco Eng.º Agr° 1939, E. A. do Ceará. José da Fonseca Tinoco Participa de campanha do Centro Estudantal Cearense. Fortaleza, 14.09.1937. José da Fonseca Tinoco, Chefe do Fomento Agrícola em Mossoró, casou-se aos 25 de setembro de 1942, na cidade de Mossoró, RN, com a Senhorita Guiomar da Câmara Borges, n. aos 18 de janeiro, filha do Coletor Federal Manoel Borges e de D. Inês da Câmara Borges. Secretário do Município de Mossoró. 20.08.1943. Exonerado - a pedido - do cargo de Delegado de Terras Devolutas, 3ª Região, Departamento de Agricultura. 22.02.1945. Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia, 2ª Região, convoca para comparecer à sua Secretaria, Av. Nossa Senhora do Carmo, nº 10, 2º Andar, Santo Antônio, Recife, o Sr. José da Fonseca Tinoco, C.P. 520-D. 23.07.1972.

José Dário Soares nasceu em Massapé no ano de 1917. Eng.° Agr° pela Escola de Agronomia do Ceará, 1941, da qual foi Professor e do Liceu do Ceará. Funcionário do Ministério da Agricultura. Filho de Manoel Aprígio Soares e de Ana Alice Farias. Neto paterno de José Firmino Soares e de Isabel Inácia de Menezes. Neto materno de Ana Maria da Frota casada a 28 de abril de 1883 com Miguel de Farias.
O Professor Dário casou-se a 19 de janeiro de 1945, na Igreja de Nossa Senhora dos Remédios, Benfica, Fortaleza, com Maria Albanisa de Albuquerque Monteiro, n. 23 de março de 1923, Fortaleza, batizada a 23 de maio do dito ano, na Igreja do Carmo, 22 anos de idade, filha de José de Albuquerque Monteiro e de Branca Diogo de Siqueira. Testemunhas na cerimônia religiosa de casamento, o Doutor José Parsifal Barroso e José de Albuquerque Monteiro. Cf. Francisco Augusto de Araújo Lima. Famílias Cearenses Zero – Soares e Araújos no Vale do Acaraú. 2ª Edição. Ed. Expressão Gráfica. Fortaleza. 2011. p. 130. L Matrimônios, Fortaleza. L Batismos, Fortaleza.

José David de Castro Eng.º Agr° 1948, Escola de Agronomia do CearáJosé David de Castro nasceu aos 24 de janeiro, em Pedreiras, Maranhão. Eng. Agrônomo Chefe do Departamento de Terras e Colonização, do Estado do Maranhão. 09.07.1951. Membro do Clube de Engenharia do Maranhão. 06.11.1951. Participa com o Eng. Agrônomo Olívio Augusto de Araújo Lima, de reunião na Cooperativa Mista de Plantadores de Banana, de Bacabeira, Município de Rosário, MA. 23.08.1951David Santos Castro n. 07 de setembro, capitalista, proprietário do Ponto Chic, (Shopparia e bar), São Luís, MA, Inspetor da Cia. de Seguros Sul América. Residente em São Luís, MA doador de valores a entidades que  de carentes, em "regozijo a vitória da revolução nacionalista espanhola". 12.11.1936O Sr. David embarcou no navio Pará para Europa, 12.04.1926. 

José de Alencar Nunes Moreira Eng.º Agr° 1955. Técnico Chefe do Centro Nacional de Pesquisa do Algodão, EMBRAPA, 25.11.1975 - 26.07.1980. Palestrante no Seminário de Produção Agrícola, no Auditório do Instituto Agronômico de Pernambuco, Av. Gen. San Martin, nº 1371, Bongi, Recife, PE. 10.10.1979. Chefe do Centro de Pesquisa do Algodão, Ministério da Agricultura, combate a praga algodoeira do Bicudo, Anthonomus grandis. 18.03.1983.

José de Araújo Nunes Eng.º Agr° 1961, EAUFC. Nasceu em Orós, a 16 de maio de 1936. Técnico da ANCAR, Ceará, 05.06.1975. Décima Exposição Centro Nordestina de Animais e Décima Sexta Exposição Agropecuária Regional do Crato, Prefeito Municipal Dr. Humberto Macário de Brito e o Agrônomo Supervisor Regional da ANCAR - Ceará. José de Araújo Nunes, Presidente da Comissão de Organização {julho / 1969}. 11.06.1969. Participa do movimento de reestruturação da Sociedade de Engenheiros Agrônomos do Cariri, cearense. 26.11.1969. Representa a ANCAR - Ceará, na Comissão de Financiamento da Produção Agrícola, Preço Mínimo. 05.06.1975.

José de Carvalho Brito Eng.º Agr° 1940. José de Carvalho Brito Comentário a respeito da primeira Edição do Jornal A Razão. Fortaleza, 23.05.1936.

José de Castro Bastos Eng.º Agr.° 1938. José de Castro Bastos nasceu aos 21 de novembro. União de Moços Católicos de Fortaleza, José de Castro Bastos, eleito 2º Secretário. 26.02.1925. Idem Orador,11.07.1926 .Guarda Mor da repartição aduaneira da Fortaleza. 22.11.1930. Membro do Partido republicano. 09.10.1934. Carta Aberta com outros concludentes de Agronomia, ao Jornal Diário de Pernambuco, comunicando a escolha do Professor Agamenon Magalhães, para Paraninfo da Turma de 1938. 11.10.1938. Guarda Aduaneiro Classe E promovido para a Classe F e efetivado. 20.09.1939. Nomeado Auxiliar do Guarda Mor da Alfândega de Fortaleza. 10.03.1945. Concedendo dispensa ao Fiscal Aduaneiro Classe I. 25.07.1954.

José de Castro Moreira Filho Eng.º Agr° 1960. Autor de: A seca de 1993: Crônica de um flagelo anunciado. José de Castro Moreira Filho Eng. Agrônomo da SUDENE. Chamado pela Receita Federal. Recife, 10.04.1969. José de Castro Moreira Filho casou-se com Maria Rodrigues da Silva. Edital de Proclamas, Recife, 15,97.1977. Por recomendação do Banco Mundial, José de Castro Moreira Filho elabora com o Eng. Agrônomo César Garcia e Miriam Arruda Seara, um trabalho de avaliação da Pobreza Permanente & POLONORDESTE. Recife. 03.09.1983. Eleito membro do Conselho Deliberativo da Associação dos Servidores da SUDENE, ASS. Recife, 15.05.1987.

José de Castro Pacheco Eng.º Agr° 1940, EACE. José de Castro Pacheco nasceu no Piauí, o Sr. seu pai foi Tabelião Público em Viçosa do Ceará. Autor da poesia publicada em Jornal, Nostálgicos. Fortaleza, e Médico Original. 18.09.1937. José de Castro Pacheco nomeado Escrivão das Rendas Federais Federais em Viçosa do Ceará. 15.04.1941 e 04.09.1941. Concedendo exoneração a José de Castro Pacheco Escrivão das Rendas Federais Federais em Viçosa do Ceará 30.06.1945.

José de Oliveira Eng.° Agr° 1945, EACE.

José de Oliveira Melo Eng.º Agr° 1953, EACE. José de Oliveira Melo membro do Conselho Diretor da Sociedade Brasileira de Ciência do Solo. Presidente da Comissão Organizadora do IX Congresso Brasileiro de Ciência do Solo. 15  -20 de julho de 1963. Fortaleza, Ceará.

José de Paiva Freitas Eng.º Agr° 1954. Escola de Agronomia do Ceará. Nasceu a 13 de março de 1927, em Canindé, Ceará. Filho de José Farias de Freitas e de Adelina Paiva de Freitas. Termo de batismo: José nasceu a treze de março de 1927, filho legítimo de José Farias de Freitas e de Adelina Paiva de Freitas, residentes em Canindé, e foi batizado a dezessete de abril do dito ano, pelo Frei Lucas Vonnegut OFM, na Igreja Matriz de São Francisco das Chagas de Canindé, sendo padrinhos, Antônio Santiago e Ilza Santiago de Oliveira.” Cf. Livro de Batismos, Ceará, familysearch.org. José de Paiva Freitas Eng. Agrônomo da CODEC, apresenta trabalho sobre o cajueiro, Anacardium occidentale. 19.09.1964.

 

     

José de Paula Motta Filho, Eng.º Agr.º Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, ESALQ, USP, 1959. Nasceu  a 05 de março de 1934, em Ponte Nova, MG, filho do Desembargador José de Paula Motta { n. 18.03.1896 e faleceu no ano de 1949}. Neto paterno de Francisco de Paula Motta Jr. e de Elisa Maria da Conceição. {Dona Carolina Vindelina e Paula, tutora do menor Jose de Paula Motta Sênior – futuro Desembargador}. Cf. Jornal Palmyrense, 05.07.1897. A irmã de Paula Motta Filho, Yeda Marinho de Paula Motta participa como testemunha em casamento, com o seu pai Desembargador. Syro, Cyro Marinho de Paula Motta, aos 12.121942, é nomeada Escriturária M, da Fazenda, RJ. Ciro Marinho de Paula Motta da Federação Aquática MineiraCélio Marinho de Paula Motta. Foi denominado de “Desembargador José de Paula Motta", o Fórum da cidade de Santos Dumont, MG. Rua Desembargador Paula Mota, na cidade de Ponte Nova, MG

    Paula Motta casou-se com D. Maria Elisa, pais de Patrícia, Luciana e Rodrigo. O estimado colega Paula Motta Filho - um dos benfeitores da moderna cafeicultura cearense - faleceu aos 07 de dezembro de 2008, na cidade do Rio de Janeiro.

     

O Atleta José de Paula Motta Filho. Aos 17 anos de idade aderiu ao basquetebol, jogando no Minas Ténis Clube, B. H., de onde passou para o XV de Piracicaba, que lhe ofereceu uma bolsa de estudos, em troca de participação no time de basquete. José de Paula Motta Filhocraque e gentleman”, “Cestobolista dotado de excelente técnica, Paula Motta está entre os mais categorizados valores do basquetebol nacional. É campeão mineiro, {Belo Horizonte, 1953}, campeão brasil