Login do Usuário
Familias Cearenses

CONTATOS:

familiascearenses.com.br
Fone: (85) 9.9990.2456

 

Sejam bem vindos(as)!

 

familiascearenses.com.br

José Pereira de Almeida

José Pereira de Almeida nasceu aos doze dias de janeiro de 1747, na Freguesia de São Sebastião, Ponta Delgada, Ilha de São Miguel, Açores, filho de Matias Pereira, natural da Igreja Matriz de São Sebastião, e de Ana Mariana Durão, Ana Maria, natural da Freguesia do Apóstolo São Pedro, desta cidade de Ponta Delgada. São Sebastião, Ilha de São Miguel, como consta do termo cearense, e onde foi batizado e correram os banhos.

Termo de batismo de José Pereira de Almeida. Jozeph, filho de Matias Pereira, natural desta Igreja Matriz de São Sebastião, e de sua mulher Ana Maria, natural da Igreja do Apóstolo São Pedro, desta cidade, nasceu aos doze dias de janeiro de 1747: foi batizado nesta sobredita Matriz, Paroquial de seus pais, por mim Cura dela João José de Medeiros, aos dezoito do dito mês e ano; foi padrinho, José Borges, estudante, filho de José Gonçalo Borges e de Genoveva da S. An.; foram testemunhas, Brás de Almeida e Félix de Almeida que comigo assinaram era ut supra. O Cura João José de Medeiros. Irmãos anotados de José Pereira de Almeida. Ana nasceu a 28 de março de 1755, e foi batizada a sete de abril seguinte na Igreja Matriz de São Sebastião, Paroquial de seus pais, pelo Padre João José Medeiros, sendo padrinho Gonçalo de Almeida, casado, morador nesta Freguesia. Testemunhas, Brás de Almeida e Félix de Almeida.

João nasceu a 23 de janeiro de 1752, e foi batizado aos trinta do dito mês e ano, na Ermida de Santa Ana da Matriz de São Sebastião, pelo Padre João Pedro de Souza. Padrinho, João de Medeiros.

Termo do 1º casamento de Martinho Francisco do Rego.

Aos dez dias do mês de fevereiro de 1669, se receberam como manda a Santa Madre Igreja em presença do Padre Francisco Pacheco do Vale, de Ponte de Lima, de minha licença e dado ao Juiz dos casamentos da Corte de Braga, sem banhos, Martinho Francisco do Rego , filho de Francisco Afonso, já defunto, e de sua mulher Margarida de Bicites, da Freguesia de São Martinho de Freixieieros, termo desta Vila, com Maria de São Rafael, filha de Antônio Dias e de Domingas Rodrigues, já defuntos, moradores nesta Vila, meus fregueses, estando por testemunha o Padre Marcos do Rego, da Freguesia do contratante e Matias Pacheco meus fregueses.
José Maria de Oliveira, José Maria d'Asso e Canto, Alferes, natural da cidade de Angra do Heroísmo, Ilha Terceira, Açores. Filho de João José Drumond e de Antônia Angélica do Canto. No termo de casamento consta somente Ilha Terceira.

Irmãos anotados de José Maria d'Asso e Canto. Antônio, filho de João José d'Aça, natural da Freguesia de Nossa Senhora dos Anjos da cidade de Lisboa, e de sua mulher Dona Antônia Angélica de Melo, natural da Freguesia de Nossa Senhora dos Olivais, extra muros da mesma cidade (Lisboa) nasceu em os quinze de fevereiro de 1800, e foi batizado nesta Catedral do Santíssimo Salvador, Paroquial dos seus pais, aos vinte e dois do sobredito mês e ano, por mim José Ribeiro de Carvalho, Reitor dela; sendo seu Padrinho o Doutor Corregedor desta Comarca José Acárcio das Neves por seu Procurador o Doutor Juiz de Fora da Vila da Praia desta Ilha, Antônio de Castro Souza Menezes Sarmento, de que para constar fiz este termo. O Reverendo José Ribeiro de Carvalho. Joaquim, filho legítimo de João José de Melo Canto e Assa, natural da Freguesia de Nossa Senhora dos Anjos da cidade de Lisboa, e de sua mulher Dona Antônia Angélica de Melo, natural da Freguesia de Nossa Senhora dos Olivais, extra muros da mesma cidade (Lisboa) nasceu em os onze de agosto de 1798, e foi batizado aos vinte e três do mesmo mês e ano por mim Vicente Ferreira de Vasconcelos, Reitor desta Catedral, donde os pais são fregueses, foi seu padrinho Luís José de Bittencourt V.?. morador na Freguesia de Santa Luzia, de que fiz o presente e assinei. O Reitor Vicente Ferreira de Vasconcelos.

Última atualização ( Qua, 26 de Abril de 2017 11:15 )

 

Albano Pereira Grangeiro 

Albano Pereira Grangeiro e seus irmãos Inácio Pereira Grangeiro e Narciso de Loronha Alencastro Grangeiro.

Albano nasceu a 1º de março de 17xx na cidade de Angra do Heroísmo, Ilha Terceira, Açores, batizado a 15 do dito mês e ano.

Filho de João Francisco Grangeiro e de Dona Clara Josefa Mariana, casados a 24 de agosto de 17xx, sendo de tarde. Neto paterno de Manoel Francisco Grangeiro e de sua mulher Maria de São João. Neto materno de Silvestre Pereira Cabral e de Dona Catarina Pereira da Cunha.

Irmãos anotados de Albano: João Francisco Grangeiro Jr. c.c. Tomásia Francisca do Carvalhal, José, Rosa, Manoel, Narciso, n. 29 de outubro, e Inácio, que nasceu a 09 de janeiro, mais velho três anos que Albano. Narciso e Inácio também vieram para o Brasil. A informação detalhada, breve nesta página.

Fonte: Siará Grande - Uma Província Portuguesa no Nordeste Oriental do Brasil. Fco. Augusto, 5º Volume, índice Onomástico e Complementos. Fortaleza, 27.02.2017. Faal.

Última atualização ( Qua, 26 de Abril de 2017 10:25 )

 

Manoel Fonseca Jaime

Nasceu em Santarém. Manuel Fonseca Jaime - Arquivo Nacional da Torre do Tombo. digitarq.dgarq.gov.pt/details?id=1883793.

O Registo Geral de Mercês do reinado de D. João V - Instalation unit 0007 Livro 7 1714/1734. Item 71596 Manuel Fonseca Jaime 1715-02-18/1715-02-18.

Capitão de Infantaria no Teréo de Olinda e Capitão Mor do Ceará Grande por escolha datada de 20 de junho de 1713. Assumiu o governo em fins de 1715.

Manoel da Fonseca Jaime Sénior, casou-se com Maria do Carmo da Assunção, Maria do Carmo Proença, Maria de Proença Lins Acioli, filha do Mestre de Campo Manoel Lopes Galvão e de Margarida Lins Acioly. Pais de sete filhos, entre eles:

1. Margarida Ribeiro da Fonseca casou-se com o Coronel de Ordenanças do Ceará Manoel Soares de Souza, natural de Moribeca, Pernambuco, filho de Diogo Martins Aires, n. em Santo Amaro do Jaboatão, Pernambuco, e de Helena Soares, n. na Freguesia da Sé de Olinda. Pais de nove filhos.

2. Bernardo de Oliveira Pinto, Capitão da Infantaria do regimento de Olinda, Pernambuco. Casou-se com Jerônima de Albuquerque de Melo, filha de João Gomes de Melo e Albuquerque e de Felipa Nunes. Sem sucessão.

3. Cipriano Lopes da Fonseca Galvão casou-se com Adriana de Holanda e Vasconcelos.Pais de Manoel da Fonseca Jaime.

O Padre Doutor, Familiar do Santo Ofício, Vigário do Acaracu, Acaraú, 1757/1762. Cura das Russas, 1767/1774. Vigário Colado de Frade, Jaguaretama, 1784, Manoel da Fonseca Jaime(Neto), n. em Olinda, Pernambuco, era filho de Cipriano Lopes da Fonseca Galvão e de Adriana de Holanda e Vasconcelos. Neto paterno do Capitão Mor do Siará Grande, 1715, Manoel da Fonseca Jaime, Sénior, n. Santarém, Portugal, e de Maria do Carmo Proença. Neto paterno do Capitão João Nunes Baião e de Felícia de Vasconcelos.
 
Cf. Fco. Augusto de Araújo Lima. Siará Grande - Uma Província Portuguesa no Nordeste Oriental do Brasil. Ed. Expressão Gráfica. Fortaleza. 2016. p. 1749, quarto volume. Fco Augusto, 14.02.2017 - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.
 

Agostinho Joaquim Nunes

Agostinho Joaquim Nunes nasceu na Rua Direita, Vila de Angeja, batizado aos vinte e seis dias do mês de outubro da era de 1730 na Freguesia de N. Senhora das Neves, Angeja, Concelho de Albergaria-a-Velha, Aveiro, filho de Manoel Nunes Furleiro (Forleyro) e de sua segunda mulher, Maria Nunes, Maria Nunes da Silva. Neto paterno de Domingos Nunes e de Maria Dias, da Vila de Frossos, Albergaria-a-Velha. Neto materno de Sebastião Dias Lins e de Maria Nunes, da Vila de Angeja.

Termo de batismo de Agostinho Joaquim Nunes.

Em os vinte e seis dias do mês de outubro da era de 1730 anos, Batizei eu o Padre Manoel Nunes, Cura desta Vila de Angeja, Freguesia de Nossa Senhora das Neves, a Agostinho, filho de Manoel Nunes, genro de Felipa, e de sua mulher Maria Nunes, da Rua Direita, e neto pela parte paterna de Domingos Nunes, o Capote, por alcunha, e de sua mulher Maria Dias, moradores que foram na Vila de Frosso, e pela parte materna é neto de Sebastião Nunes Bacorinho, de alcunha, digo de Sebastião Dias, Bacorinho, de alcunha, e de sua mulher Maria Nunes da Rua dos Pinheiros; foram Padrinhos, Manoel Nunes, do lugar Silha, Freguesia da Santa Cruz de Albergaria-a-Velha e Esperança Marques, mulher de Manoel Dias Picado da Rua da Agra, todos moradores nesta Vila de Angeja, Bispado de Coimbra, e por verdade fiz este assento e assinei dia ut supra. Manoel Nunes.

Termo de casamento dos pais de Agostinho Joaquim Nunes.

Em os três dias do mês de fevereiro da era de 1726 anos, se receberam em minha presença Maria Nunes, filha legítima de Sebastião Dias e de sua mulher Maria Nunes, já defunta, com Manoel Nunes, casado que foi primeira vez com Maria Dias filha legítima de João Álvares, já defunto, e de sua mulher Felipa Dias, todos naturais e moradores nesta Vila de Angeja, Freguesia de Nossa Senhora das Neves, Bispado de Coimbra; o qual Manoel Nunes, é filho legítimo de Domingos Nunes, já defunto, e de sua mulher Maria Dias, moradores na Vila de Frosso, Freguesia de São Payo, deste dito Bispado de Coimbra. Corridos os Banhos na forma do Sagrado Concílio Tridentino, Constituição e Pastorais deste Bispado e não houve impedimento algum e nem eu o sei, sendo testemunhas o Licienciado Manoel Nogueira da Silva, João Nunes, Miguel Simão, Domingos João, o Touta, José Valente, todos moradores nesta Vila de Angeja, Freguesia de Nossa Senhora das Neves, Bispado de Coimbra, e por verdade fiz este assento que assinei dia ut supra. O Cura, Manoel Nunes. 
Fonte: Fco. Augusto de Araújo Lima. Siará Grande - Uma Província Portuguesa no Nordeste Oriental do Brasil. Ed. Expressão Gráfica. Fortaleza. 2016. p. 26, Fco Augusto, 19.03.2017 - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Última atualização ( Qua, 26 de Abril de 2017 10:13 )

 

Manoel da Costa Farrapo

Nasceu aos nove dias do mês de novembro de 1746, no lugar Rosto do Cão, Freguesia de São Roque, Concelho de Ponta Delgada, Ilha de São Miguel, Açores, de onde veio para o Recife, e depois para a Ribeira do Acaraú.
Termo de batismo de Manoel da Costa Farrapo.

Manoel filho de Bartolomeu de Souza e de Isabel Muniz naturais deste lugar de Rosto de Cão, nasceu em os nove dias do mês de novembro de 1746, e foi batizado na pia batismal da Igreja de São Roque onde seus pais são fregueses em os dezesseis dias do dito mês e era acima dito por mim Luís Álvares Carneiro, Cura da Ermida de N. Senhora do Livramento, sufragânea desta dita Paroquial; foi padrinho, Manoel da Costa Farrapo, homem casado, morador neste lugar do Rosto do Cão; foram testemunhas o Padre João da Costa Furtado e Domingos de Souza, ambos moradores no sobredito lugar e para constar fiz este assento ano dia mês e era acima dito. O Cura Luís Álvares Carneiro.

Manoel da Costa Farrapo, terceiro filho de D. Isabel Muniz, e do seu segundo marido Bartolomeu de Souza, naturais do lugar Rosto do Cão, Freguesia de São Roque. Ascendentes:

- Pedro Gonçalves Farrapo casado com Maria Luís, pais de:

- Pedro da Costa casado com Isabel Gonçalves, pais de:

- Manoel da Costa Farrapo casado com Isabel Fernandes, como a seguir fica explicitado.

Transcrição livre do termo de casamento dos pais de Manoel da Costa Farrapo.

Em os dezenove dias do mês de junho de 1740 anos, na Paroquial Igreja de São Roque, casaram-se Bartolomeu de Souza, filho de Manoel da Costa Farrapo e de Bárbara de Aguiar, batizado na Igreja de São Roque e freguês da Ermida de N. Senhora do Livramento, anexa da Paroquial de São Roque, e D. Isabel Muniz, viúva de João de Gouveia, sepultado no Hospital Real de Lisboa. Informam Bárbara da Costa e Maria da Ascensão, que D. Isabel Muniz fizera votos de não casar e por haver dado fiança de mandar vir certidão de como era morto o dito seu marido e não haver mais impedimento como tudo me consta de um mandato do Padre José Jácome da Costa, Ouvidor deste Distrito, se receberam em casamento. Presentes, o Cura da Igreja de São Roque, Padre Antônio Gomes Tavares, as testemunhas, Manoel da Costa, Manoel da Costa Farrapo, moradores deste lugar (Rosto do Cão), e de outras pessoas.

Termo de casamento dos avós paternos de Manoel da Costa Farrapo.

Em os quinze dias do mês de outubro de 1703 anos, de tarde, na Igreja Paroquial de São Roque, casaram-se, Manoel da Costa Farrapo, natural do lugar Rosto do Cão, Freguesia de São Roque, filho de Manoel da Costa (Farrapo) e de Ana de Souza, e Bárbara de Aguiar, filha de Antônio Rodrigues Horta e de sua mulher Maria de Aguiar. Os contraentes, batizados e desobrigados, moradores no citado lugar Rosto do Cão. Presentes, o Vigário, Padre Francisco da Costa Carneiro, as testemunhas, o Reverendo Padre Lourenço da Costa, Domingos da Costa Souza.

Termo de casamento dos bisavós paternos de Manoel da Costa Farrapo.

Em os três dias do mês de junho de 1674, recebi in face eclesiais a Manoel da Costa (Farrapo), filho de Manoel da Costa Farrapo e de Isabel Fernandes, com Ana de Souza, filha de Martinho Fernandes e de Luíza Martins. Presentes, o Padre Antônio Duarte de Souza, as testemunhas, Antônio Pereira Dutra (?), Manoel da Costa Farrapo, o Padre João de Souza, e outras pessoas desta Freguesia.

Irmãos anotados de Manoel da Costa Farrapo, o falecido em Sobral, Ceará.

1. Teresa nasceu a 28 de abril de 1741, e foi batizada na Paroquial Igreja de São Roque, onde seus pais são fregueses, pelo Padre Antônio Gomes Tavares, no dia 04 de maio do ano citado. Padrinho, Manoel da Costa Farrapo, casado. Testemunhas, Manoel de Paiva e o Padre José da Costa Furtado.

2. André nasceu a 09 de fevereiro de 1744, batizado a 16 do dito mês e ano, na Paroquial Igreja de São Roque, onde seus pais são fregueses, pelo Padre Sebastião de Castro. Padrinho, Manoel da Costa Farrapo, casado. Testemunhas, João de Souza, Manoel da Costa Cabral, João da Costa Furtado.

3. Catarina nasceu a 10 de março de 1749, e foi batizada na Paroquial Igreja de São Roque, onde seus pais são fregueses, pelo Padre Luís Álvares Carneiro, Cura da Ermida de N. Senhora do Livramento, a 16 do dito mês e ano. Padrinho, Manoel da Costa Farrapo, casado. Testemunhas, o padre João da Costa Furtado, Tesoureiro da Igreja de São Roque, e João Ferreira.

- Casamento do tio paterno de Manoel da Costa Farrapo.

Manoel da Costa Farrapo, f. de Manoel da Costa Farrapo e de Bárbara de Aguiar, casou-se a 02.06.1740, na Paroquial Igreja de São Roque, com Antônia de Souza, f. de Francisco de Lima e de Maria de Pimentel.

- Casamento do tio-avó paterno de Manoel da Costa Farrapo.

João de Souza, do lugar Rosto do Cão, f. de Manoel da Costa Farrapo e de Ana de Souza, casou-se a 17.11.1704, de tarde, na Paroquial Igreja de São Roque, com Bárbara Ferreira, f. de João Rodrigues Horta e de Bárbara Ferreira. Pais de Jacinta, nascida a 10.02.1743, e batizada a 17 do dito mês e ano, na Igreja de São Roque. Padrinho, Bartolomeu de Souza, seu tio paterno.

- José filho de Manoel da Costa Farrapo e de Ana de Souza, nasceu a 08.05.1747, e foi batizado a 14 do dito mês e ano, na Pia Batismal da Igreja de São Roque, pelo Padre Antônio Gomes Tavares. Padrinho, Bartolomeu de Souza, casado, morador no lugar Rosto do Cão. Testemunhas, o Padre João da Costa Furtado, Tesoureiro da Igreja de São Roque, e Manoel de Souza Cordeiro, morador no mesmo lugar do Rosto do Cão.

- Casamento de Domingos da Costa Farrapo, f. de Manoel da Costa Farrapo e de Ana de Souza, com Ana de Souza, f. de Tomé Jorge e de Isabel de Souza.

João Lostão Navarro

A parte referente a João Lostão Navarro, página 1170, deve ser excluída por haver sido prejudicada na edição. Um trabalho exclusivo sobre o assunto será oportunamente disponibilizado neste site. 02.03. 2017. Faal.

Fonte: Siará Grande - Uma Província Portuguesa no Nordeste Oriental do Brasil. Francisco Augusto de Araújo Lima. Ed. Expressão Gráfica. Fortaleza.2016. p. 1470,1486,1536,1701. Fortaleza, 03.03.2017.

Última atualização ( Qua, 26 de Abril de 2017 10:07 )

 

<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 Próximo > Fim >>

Página 1 de 6