Blue Flower

Seja benvindo(a)!

DIGITE O TERMO NA PESQUISA, APERTE O ENTER E AGUARDE O MELHOR RESULTADO!

 

  Bailarina, bailearina, gripe, gripe espanhola, grippe, enfluenza, influenza, como registraram os Padres Católicos nos Livros de Óbitos, a causa mortis das pessoas vítimas do vírus H1N1.

  Anotou-se o início da pandemia em alguns municípios escolhidos ao acaso, para datar a chegada do vírus. Admite-se que aconteceu um segundo pico (1919) e um terceiro (1920) no sertão cearense.

  As primeiras vítimas na cidade de Fortaleza, no mês de setembro de 1918, alertou a população e quem pôde fugiu para o sertão.

  A Linha Sul da Rede Viação Cearense, R.V.C., ia até Lavras da Mangabeira, cuja Estação Ferroviária, foi inaugurada a 1° de dezembro de 1917. E foi através dos trens puxados pela locomotiva Maria Fumaça, que o vírus chegou no mês de novembro de 1918, a maioria dos municípios sertanejos, fazendo vítimas de todas as idades, classes sociais e cor. A 27 de abril de 1919 foi inaugurada a parada de trem, então chamada de Francisco Holanda.

   Influenza A subtipo H1N1, também conhecido como A (H1N1), é um subtipo de Influenzavirus A e a causa mais comum da influenza (gripe) em humanos. A letra H refere-se à proteína hemaglutinina e a letra N à proteína neuraminidase. Este subtipo deu origem, por mutação, a várias estirpes, incluindo a da gripe espanhola (atualmente extinta), estirpes moderadas de gripe humana, estirpes endêmicas em aves.

  Municípios relacionados, priorizando a data do início da chegada do vírus, e alertando que a mortandade continuou em todas as localidades pesquisadas.

 Aquiraz: Aos vinte de novembro de 1918, no lugar Eusébio, faleceu de Influenza, Ana, 15 anos de idade, filha de José Alves. Aos 21.11.1918, no lugar Tapera, faleceu de Influenza, Joana Maria da Conceição, 24 anos de idade. Aos 22 de novembro de 1918, no lugar Camará, faleceu de Influenza, Germana Nogueira da Silva, solteira, de idade 30 anos. No dito dia de 22 de novembro de 1918, no lugar Córrego, faleceu de Influenza, Maria, três anos de idade, filha de Francisco Cosme de Oliveira. No lugar Telha, no dia 30 de novembro de 1918, faleceu de Influenza, Francisca Xavier Pires, com oitenta anos de idade. Antônio Rufino de Barros, casado, faleceu no lugar Barra - Bode, aos 28 de novembro de 1918, de Influenza. Aos 09 de dezembro de 1918, faleceu de Influenza, no lugar Presídio, (Praia do Iguape), Pedro José Victor, 21 anos de idade.

 Barbalha: 19 de novembro de 1918, no Sítio Roncador, começa o registro de morte por Grippe / Enfluenza. Neste dia faleceu Peregrino Quezado, solteiro, com 18 anos de idade. Teresa Evangelista Sampaio, 30 anos de idade, solteira, faleceu de Enfluenza, na cidade de Barbalha, no dia 30.11.1918. Francisco Carceireiro, 15 anos de idade, faleceu de Enfluenza, a 30.11.1918, na cidade de Barbalha. José Gomes da Silva, 35 anos de idade, faleceu de Enfluenza, no Sítio Bolandeira, Barbalha. Era casado com Isabel Maria da Conceição. Marcos Marinho Falcão, viúvo, de idade 55 anos, faleceu de Enfluenza, aos dois dias do mês de dezembro de 1918, no Sítio Buriti, Freguesia de Barbalha, Cariri cearense. No mesmo dia mês e ano, faleceu de Enfluenza, na cidade de Barbalha, Bispado do Crato, a Senhora Maria da Conceição casada com Melquíades da Costa Velozo. Ainda 02.12.1918, faleceu de GRIPE, no Sítio São Pedro, Freguesia de Barbalha, José Virgínio, 25 anos de idade, casado com Maria Úrsula. No dia três de dezembro de 1918, faleceu de Gripe, no Sítio São Joaquim, Barbalha, Antônia Generosa da Conceição, 25 anos de idade, casada com João Bello. No Sítio Estrela, Barbalha, faleceu de Gripe a 03.12.1918, Mariano Teixeira, 37 anos de idade, casado com Rosa Maria da Conceição.

 Cascavel: Aos 05.12.1918, faleceu de Bailearina, Raimundo, filho de Antônio da Silva e de Aurora Maria da Conceição. Josefa Maria da Conceição, 48 anos de idade, faleceu de Bailearina, no lugar Mata Query, Cascavel, no dia 06.12.1918. No lugar ‘Pratiús, Cascavel, no dia 07.12.1918, faleceu de Bailearina, Silvana Marta de Jesus, 75 anos, filha de Cipriano e de Maria da Conceição.

 Lavras da Mangabeira: Maria de Lourdes, 22 anos de idade, solteira, faleceu de Influenza, a 21 de novembro de 1918. No mesmo dia, mês e ano faleceu da dita Influenza, José Atanásio, 25 anos de idade. Mariana Barros Lima, faleceu de Influenza, no dia 22.11.1918. Era casada com Adauto Frota Lima.

 Maranguape: Faleceu a 1º de novembro de 1918, de Influenza, Gervásio Belchior, solteiro. No dia cinco de novembro de 1918, faleceu Luís, seis meses de idade. Antônio Luís de Oliveira, faleceu a 20.11.1918, de Influenza Espanhola.

 Milagres: André. 14 anos de idade, filho de Manoel Vitorino e de Joana Maria da Conceição, faleceu de GRIPPE, no dia 19 de dezembro de 1918. Maria da Conceição de Jesus, 40 anos de idade, faleceu a 23.12.1918, de GRIPPE, era casada com Raimundo Agostinho, José Dantas e sua mulher Maria Alves de Jesus, pais de Rosalina, seis anos de idade, faleceu de GRIPPE, a 25.12.1918, pais ainda de Felinto Dantas, 12 anos de idade, que faleceu de GRIPPE a 24.12.1918. Maria Antônia da Conceição, 32 anos de idade, casada com Valdemiro Victor, faleceu de GRIPPE a 23 de dezembro de 1918. Maria da Conceição casada que foi com Honório Ventura de Souza, faleceu de GRIPPE, a 25.12.1918. Antônio Jesuíno de Andrade, 34 anos de idade, faleceu de GRIPPE a 27.12.1918. Era casado com Honorina Leite de Figueiredo. Cândida Maria da Conceição, faleceu de GRIPPE em Maurity, a 26.12 de 1918 e era casada com Esperidião Sombra.

 Redenção: Guilherme de Barros, 12 anos de idade, filho de Francisco de Barros e de Raquel Maria da Conceição, faleceu de Influenza, no Sítio das Pedras, 20 de novembro de 1918. Maria Antônia do Rosário, natural do Icó, viúva, residente na cidade de Redenção, faleceu de Influenza, a 21 de novembro de 1918. Ester Ferreira, 24 anos, casada com Manoel Miguel, faleceu de Influenza, a 22 de novembro de 1918. Maria, 11 anos de idade, filha de Francisco Gomes da Silva e de Luíza Cândida da Silva, faleceu de Influenza, no dia 24 de novembro de 1918.

Várzea Alegre: O Padre  Deocleciano Chaves nasceu em Soure, Caucaia, Ceará, Freguesia da Fortaleza, no primeiro dia do mês de outubro do ano de 1891, filho de João de Souza Chaves e de Luíza de Paula Souza. Anotado por engano como sendo Silva no lugar de Souza. Ordenado Padre em Fortaleza, a 25 de abril de 1918. Faleceu “vítima da gripe espanhola” em Várzea Alegre, a 24 de novembro de 1918, quando amparava com extremada dedicação as vítimas do vírus influenza.

 Fonte: Livros de Óbitos da Igreja Católica Apostólica Romana. Pesquisa Fco. Augusto de Araújo Lima.

Jornal o Povo, Fortaleza, 28.09.2018. https://www.opovo.com.br/noticias/fortaleza/2018/09/ha-100-anos-epidemia-de-gripe-espanhola-chegava-a-fortaleza.html   

Wikipédia, a enciclopédia livre – Gripe Espanhola de 1918. Fortaleza, 30 de setembro de 2018.