Blue Flower

Seja benvindo(a)!

DIGITE O TERMO NA PESQUISA, APERTE O ENTER E AGUARDE O MELHOR RESULTADO!

   

      Árvore de Costado da Família Demétrio de Souza.

   Por Fco. Augusto de Araújo Lima. Tupancy, Eusébio, Ceará – 20 de junho de 1997. Atualizado em 14.07.2006. Editado aos 14 de janeiro de 2019. Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.  Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

                                         

                                                                                 

  1. Jonas Demétrio de Souza nasceu em Santana do Acaraú, a 14 de maio de 1887. Auxiliar de Engenheiro da Inspetoria de Obras Contra as Secas, IOCS, depois IFOCS, atual DNOCS. Jonas casou-se em 08 de janeiro de 1907, na Igreja Matriz de Santana do Acaraú, com Maria José Soares, da mesma naturalidade n. a 25 de maio de 1889, e faleceu em Fortaleza, a 28 de outubro de 1986, filha de José Leopércio Soares e de Maria Umbelina Soares. Jonas faleceu em Fortaleza a 28 de janeiro de 1953. Termo de batismo. Aos treze de junho de 1887, nesta Matriz (de Santana do Acaraú), batizou solenemente o Reverendo Francisco Theotime de Maria Vasconcelos, a Jonas, filho legítimo de Francisco Demétrio (de Souza) e de Ana Laurinda de Souza, nascido a quatorze de maio do dito ano, sendo padrinhos, Vicente Sabino de Maria Costa e Alberta Sabina; de que para constar mandei fazer este assento que assinei. O Vigário Colado Francisco Xavier Nogueira.” Cf. Livro de Batismos, Santana do Acaraú.  Termo de casamento de Jonas Demétrio. “A oito de janeiro de 1907, na Matriz de Sant’Ana do Bispado do Ceará, em minha presença compareceram Jonas Demétrio de Souza e Maria José Soares, em tudo habilitados e sem impedimento e estando dispensados do parentesco que os ligava; os quais se receberam por marido e mulher com palavras de presente e logo lhes dei as bênçãos núpcias, sendo testemunhas o Doutor José Ayres de Souza e o Doutor Júlio Gurgel. E para constar fiz este assento que assino. O Vigário Francisco Theotime Maria de Vasconcelos.” Cf. Livro de Matrimônios, Santana do Acaraú. 

                                                                                                                                                          

  1. José Aires de Souza nasceu a 28 de junho de 1874, em Santana do Acaraú. Eng.º Civil pela Escola Politécnica do Rio de Janeiro, 1900. Inspetor Geral da Inspetoria de Obras Contra as Secas, IOCS, depois IFOCS e atual DNOCS, a 09 de março de 1912. Faleceu a 22 de abril de 1941 logo após visita a sua mãe enferma, em Fortaleza. Casou-se com Elvira Figueiredo Aires, com geração. Cf. RIC. Os Mortos do Instituto, 1941. p. 253.

“Acta da abertura das propostas para a construção do açude, «Poço dos Paus», municipio de São Matheus, Estado do Ceará. Aos treze dias do corrente mez de dezembro de mil novecentos e doze, nesta Secretaria Geral da Inspectoria de Obras Contra as Secas, o Engenheiro José Ayres de Souza, sub-inspector geral, presentes os senhores engenheiros em exercicio, Walfrido Ribeiro, secretario geral, engenheiro Raymundo Cezar de Berrado e Gabriel Teixeira Marinha, procurador conforme procuração, que fica archivada, do concurrente Joaquim Domingues Leite de Castro, abaixo assignados, o senhor sub-inspector, depois de julgar idoneos os proponentes á construcção do açude «Poço dos Paus», municipio de São Matheus, (Jucás), Estado do Ceará,” etc. etc. Página 16 da Seção 1 do Diário Oficial da União (DOU) de 14 de Dezembro de 1912.

                                                                                                                                                      

  1. Joaquim Demétrio de Souza nasceu em Santana do Acaraú. Funcionário da Inspetoria de Obras Contra as Secas, IOCS, atual DNOCS. Joaquim casou-se (1) a 20 de julho de 1920, com Francisca Dutra Mendes, filha de José Dutra Pereira Mendes e de Maria José Furtado Mendes, casados a 12.06.1879. Neta paterna de Antônio Mendes Pereira de Vasconcelos e de sua segunda mulher Maria Rosalina Mendes. Neta materna de Silvano Furtado de Mendonça e de Ricardina Cândida Neves. Joaquim Demétrio de Souza casou-se (2) a 17 de dezembro de 1927, na Igreja de Nossa Senhora do Carmo, Fortaleza, com Maria de Lourdes Porto. Termo de casamento. “Aos dezessete de dezembro de 1927, nesta Matriz, (de Nossa Senhora do Carmo, Fortaleza), depois das denunciações canônicas não aparecendo impedimento algum, por palavras de presente, na forma do Ritual, na presença do Cônego José Alves Quinderé e das testemunhas, Pompeu da Costa Lima e João Saboia Barbosa receberam-se em matrimônio Joaquim Demétrio de Souza viúvo de Francisca Dutra Demétrio, e Maria de Lourdes Porto viúva de Fernando Porto, ele (o nubente) natural de Acaraú (sic) e a nubente de Fortaleza, residentes nesta Freguesia. E para constar mandei fazer este assento que assino. O Vigário Monsenhor J. A. .?.” Cf. Livro de Matrimônios, Ig. do Carmo, Fortaleza. Joaquim Demétrio de Souza c.c. Francisca Dutra Demétrio, pais de Maria n. 21.09.1922. Padrinhos, José Aires de Souza e sua mulher Elvira Figueiredo Aires.  Cf. Livro de Batismos, Sobral. Página 26 da Seção 1 do Diário Oficial da União (DOU) de 19 de Dezembro de 1952.

                                                                                                                  

  1. Maria da Conceição de Souza nasceu a 29 de dezembro de 1892 e faleceu a 29 de dezembro de 1978. Casou-se com Pedro Soares de Mello, em Massapé a 21 de junho de 1913. Pedro Soares de Mello nasceu a 1º de agosto de 1883, e faleceu a 25 de janeiro de 1947, filho de José Ferreira de Mello (Papai Mello – 1850/1933) e de Maria Josepha Soares e Silva. Neto paterno de José de Mello Falcão e de Theresa Maria de Jesus Ferreira, a mesma Teresa Rodrigues Nepomuceno.

                                                                                                                  

  1. João Batista Demétrio de Souza casou-se em Sobral, Ceará a 30 de setembro de 1905, com Maria Odete Aguiar, filha de Laureano, Lauriano de Lima Aguiar e de Maria do Carmo Aguiar. Dez filhos. Termo de casamento. “Aos trinta de setembro de 1905, feitas as denunciações que dispõe o Concílio Tridentino e não constatando impedimento, em presença do Reverendo Padre João Alves, de licença minha, e perante as testemunhas, Júlio Gurgel de Souza e Francisco Rocha, receberam-se em matrimônio, na Capela da Senhora de Remédio João Batista Demétrio de Souza, filho legítimo de Francisco Demétrio de Souza e D. Ana Laurinda de Souza, com Maria do Carmo de Aguiar, digo, Maria Odete de Aguiar, filha legítima de Lauriano de Lima Aguiar, já falecido, e de Maria do Carmo Aguiar; o contraente natural da Freguesia de Sant’ Ana (do Acaraú) e a contraente natural e moradora nesta Freguesia (de Sobral) e logo lhes dei as bênçãos nupciais na forma do Ritual Romano do que para constar mandei fazer este assento que assino. O Vigário, Monsenhor Diogo José de Souza Lima.” Cf. Livro de Matrimônios, Sobral.

                                                                                                                        

 1.  Maria do Carmo de Souza casou-se a 29 de setembro de 1889, às 17 h, na Igreja de Santana do Acaraú, com o viúvo José Júlio da Ponte. A primeira esposa de José Júlio da Ponte foi Ana Francisca da Penha, Ana Tomásia, casados a 30.01.1884. O citado José Júlio da Ponte, filho do segundo casamento realizado a 26 de julho de 1845, de seu pai Manoel Francisco da Ponte com Francisca Carolina de Souza. Neto paterno de Francisco Ferreira da Ponte e de Maria do Carmo de Jesus. Neto materno de Diogo José de Souza e de Constança Maria do Carmo. Termo de casamento.“Aos vinte e nove dias do mês de setembro de 1889, pelas cinco horas da tarde, nesta Igreja Paroquial da Cidade de Sant’Ana (do Acaraú) deste Bispado do Ceará, compareceram em minha presença os contraentes José Júlio da Ponte e Maria do Carmo de Souza, aquele viúvo por falecimento de Dona Ana Francisca da Penha, e esta filha legítima de Francisco Demétrio de Souza e de Dona Ana Laurinda de Souza, naturais desta Freguesia de Sant’Ana e morador o nubente na Freguesia de Camocim, e a nubente nesta mesma Freguesia, os quais contraentes se receberam por marido e mulher com palavras de presente e logo lhes dei a bênção nupcial segundo o rito da Santa Igreja Católica, sendo testemunhas presentes, Cristino Evaristo da Ponte e Joaquim Laurindo de Souza os quais conheço pelos próprios. E para constar lavrei este termo que depois de lido assino juntamente com as testemunhas. O Vigário Colado Francisco Xavier Nogueira.” Cf. Livro de Matrimônios, Santana do Acaraú. 

                                                                                                                  

 1.  Odete Demétrio de Souza casou-se com o Doutor Júlio Gurgel de Souza, colega e amigo do Dr. José Aires de Souza.   --> Exames para a obtenção do titulo de agrimensor - Cosmographia - Approvado simplesmente: Julio Gurgel de Souza. Página 8 da Seção 1 do Diário Oficial da União (DOU) de 22 de Dezembro de 1899. Inspectoria de Obras Contra as Secas. Secretaria Geral. "Por portaria de 8 do corrente, foi suspenso por 30 dias o engenheiro chefe da Segunda Secção, Julio Gurgel de Souza, por falta grave commetida no exercício do seu cargo, conforme consta do processo administrativo em andamento para a competente decisão final do Governo". Página 38 da Seção 1 do Diário Oficial da União (DOU) de 9 de Maio de 1913. Saídos para o Sul no dia 13 de março de 1913, no Vapor nacional Itatinga: Rio de Janeiro Júlio Gurgel de Souza. Cf. A Província, Pernambuco, 15.03.1913, Edição 00072.

                                                                                                               

  1. Armênio Demétrio de Souza, Armênio Demétrio Ayres de Souza, residiu no Rio de Janeiro, onde se casou com Mariana Leal Ayres de Souza, com geração. Funcionário do Ministério da Agricultura, lotado Jacarepaguá, Distrito Federal, RJ. Página 30 da Seção 1 do Diário Oficial da União (DOU) de 18 de Outubro de 1919. Sócio fundador e tesoureiro da Cooperativa PANIFICIA, a 10 de junho de 1914, RJ. Instituto Biológico de Defesa Agrícola, Diretoria Geral de Contabilidade, RJ. Página 113 da Seção 1 do Diário Oficial da União (DOU) de 30 de Novembro de 1923.

                                                                                                                   

 1.  Francisco Demétrio de Souza Filho, Almoxarife, Primeira Secção, Ceará, IOCS. Página 19 da Seção 1 do Diário Oficial da União (DOU) de 12 de Janeiro de 1912. Almoxarife, Primeiro Distrito, Ceará da IFOCS. Página 29 da Seção 1 do Diário Oficial da União (DOU) de 25 de Março de 1923. Ex - Almoxarife, Primeiro Distrito, Inspetoria Federal de Obras Contra as Secas. Página 37 da Seção 1 do Diário Oficial da União (DOU) de 27 de Junho de 1932. Francisco Filho residiu no Rio de Janeiro.

                                                                                                                   

 1.  Deodolina Demétrio de Souza.

                                                                                                                                            

      A irmandade 1. Relação de Jonas Demétrio de Souza a Deodolina Demétrio de Souza é filha de:

   2. Francisco Demétrio de Souza, Major (Papaete), nasceu no ano de 1851, em Santana do Acaraú, e faleceu em dia não guardado, do mês de junho de 1913. Casou-se a 19 de julho de 1871 na Igreja |Matriz de Santana do Acaraú. Termo de casamento.“Aos dezenove de julho de 1871, nesta Matriz, feitas as denunciações, sem impedimento, em minha presença, sendo testemunhas, Manoel Joaquim de Souza e Francisco Anastácio de Souza, se receberam em matrimônio Francisco Demétrio de Souza filho legítimo de Policarpo Francisco de Maria de Souza e de Antônia Rosa Cândida, com Ana Launinda de Menezes, filha legítima de José Ayres Carneiro e de Maria do Carmo Menezes, ambos nubentes, naturais e moradores nesta Freguesia; se acham dispensados do parentesco que os ligam e logo lhes foram dadas as bênçãos nupciais na forma do Ritual e para constar mandei fazer este assento que assino. O Coadjutor Pró Paróco Antônio Bezerra de Menezes.” Livro de Matrimônios, Santana do Acaraú. 

 3.  Ana Laurinda Carneiro, Mãinda, enteada do seu sogro, nasceu no ano de 1852 e faleceu em Fortaleza, Ceará a 22 de fevereiro de 1942. Pais de 22 filhos dos quais sobreviveram os relacionados item 1. acima.

     

    Pais do Major Francisco Demétrio de Souza.

 4.  Policarpo Francisco de Souza, Major (Papaca) nasceu a 15 de março de 1819 em Santana do Acaraú, onde faleceu na Fazenda Pedrinhas, a 20 de setembro de 1902. Casou-se três vezes. A segunda vez com Maria do Carmo Menezes, Maetal, filha de José Carneiro Júnior e de Ana Teodora Soares de Menezes, viúva de José Aires Carneiro, a 29 de junho de 1866. A terceira vez, Policarpo de idade 72 anos e sete meses, casou-se a 29 de outubro de 1892, na Igreja Paroquial de Santana do Acaraú, com Maria do Carmo Vasconcelos, com 38 anos de idade e filha de Francisco Gomes de Vasconcelos e de Maria da Glória Celeste. Termo de casamento.“Aos vinte e nove de outubro de 1892, na Igreja Paroquial de Santana (do Acaraú) termo do Bispado do Ceará, pelas sete horas da noite, compareceram em minha presença os contraentes Policarpo Francisco de Souza e Dona Maria do Carmo da Glória, ele viúvo por falecimento de Dona Maria do Carmo de Menezes, ela filha legítima do finado Francisco Gomes de Vasconcelos e de Dona Maria da Glória Celeste, da Freguesia de Sobral, e de idade de trinta e oito anos; estavam dispensados do impedimento de consanguinidade em quarto grau simples e no de afinidade em terceiro grau atingente ao segundo e quarto; se receberam por marido e mulher por palavras de presente, e lhes dei as bênçãos nupciais segundo o Rito da Santa Igreja Católica, sendo testemunhas, Francisco Ferreira da Ponte, solteiro, e Manoel Carneiro Messias, que conheço pelos próprios. E para constar lavrei este termo que depois de lido assino juntamente com as testemunhas. O Vigário Colado Francisco Xavier Nogueira.” Cf. Livro de Matrimônios, Santana do Acaraú. O primeiro casamento com:

5. Antonina Brandão, a mesma Antônia Rosa Cândida, filha de Manoel Pinto Brandão e de Francisca Tomásia de Veras.

    

   Pais de D. Ana Laurinda Carneiro:

 6.  José Ayres Carneiro, casado com

 7. Maria do Carmo Menezes

    

Avós do Major Francisco Demétrio de Souza

Paterno:

 8.  Diogo José de Souza nasceu no Marco, comerciante e morador a Rua do Rosário em Sobral, Ceará. Procurador da Câmara, nomeado a 23 de fevereiro de 1822. Casou-se na Igreja Matriz de Sobral, a 27 de maio de 1813, com:

 9.  Constância Maria do Carmo

Materno:

 10.  Manoel Pinto Brandão nasceu em Santa do Acaraú. Casou-se em Campo Maior, Piauí, com:

 11.  Francisca Tomásia de Veras, Dona Branca, falecida a 16 de maio de 1837.

    

Avós de Ana Laurinda Carneiro.

Paterno:

 12.  Capitão Manoel Carneiro da Costa, (Júnior) casou-se (1) com Francisca Maria de Jesus, filha de Manoel Lourenço da Costa e de Ana Ferreira de Jesus, (quatro filhos casados com quatro irmãs). Casou-se (2) com Teresa Maria de Jesus, filha de Manoel Ferreira da Rocha e de Maria Joaquina de Jesus, (três filhos). Manoel Carneiro da Costa (Jr.) falecido a 10 de outubro de 1814. Casou-se (3) com:

 13.  Isabel Maria do Carmo, irmã da segunda esposa. (Dois filhos).

Materno:

 14.  José Carneiro da Costa Júnior casou-se a 26 de outubro de 1830, na Fazenda Altinho, com:

 15.  Ana Teodora Soares de Menezes, mãe de 11 filhos.

    

Bisavós do Major Francisco Demétrio de Souza.

Paterno:

 16.  Manoel Francisco de Vasconcelos, Capitão Mor, nascido na Fazenda Curralinho, Santana do Acaraú, Ceará e morador no Marco e Salgado. Casou-se na Fazenda Marco, a 26 de novembro de 1767, com: 

 17.  Maria Joaquina da Conceição Uchoa nasceu na Freguesia de Sobral, Ceará e mãe de 10 filhos.

 18.  Francisco Ferreira da Ponte (Neto) nasceu no ano de 1762, na Freguesia de Sobral, e faleceu a 23.07.1825, sendo sepultado na Igreja Matriz de Sobral, Ceará. Casou-se a 31.07.1780 com:

 19.  Maria do Carmo do Espírito Santo Fonteles nasceu na Fazenda Tucunduba, Santana do Acaraú, Ceará, e mãe de oito filhos.

Materno:

 20.  Antônio Mendes Vasconcelos nasceu e batizou-se em maio de 1756, na Fazenda Tucunduba, Santana do Acaraú, e faleceu a 06 de novembro de 1816, no Areal, Freguesia de Sobral, Ceará. Casou-se (2) com Teodora Inácia Teles de Menezes, também viúva, ver nº 61. Casou-se a (1) na Fazenda Jaibaras de Cima, a 05 de fevereiro de 1777, com:

 21.  Ana Joaquina de Jesus Ferreira Gomes, que nasceu a 20 de maio de 1762, em Sobral, Ceará. Casou-se com 15 anos incompletos. Faleceu aos 33 anos, em 27 de agosto de 1795, sendo sepultada na Igreja Matriz de Sobral. Deixou seis filhos.

 22.  Antônio Alves Ferreira de Veras, de Campo Maior, PI. Casou-se com:

 23.  Francisca de Veras.

    

Bisavós de Ana Laurinda Carneiro

Paterno:

 24.  Manoel Carneiro da Costa, Ajudante, nasceu no ano de 1745 e faleceu em 17 de dezembro de 1811, sendo sepultado na Igreja Matriz de Sobral. Casou-se com 21 anos de idade, em 09 de janeiro de 1766, com:

 25.  Rosa Maria da Conceição Vasconcelos (irmã do nº 20), seis filhos.

 26.  Manoel Ferreira da Rocha casou-se (2) em 20 de setembro de 1827, com Delfina Clarinda da Glória, sem sucessão. Casou-se (1) a 13 de outubro de 1788 com:

 27.  Maria Joaquina de Jesus de Albuquerque, mãe de nove filhos.Materno:

 Materno: 

 28.  Joaquim Carneiro da Costa casou-se (2) com Rita do Espírito Santo, a 17 de outubro de 1817. Casou-se (1) na Capela de Santana do Acaraú, Ceará, em 31 de maio de 1804, com:

 29.  Maria Lourença da Costa. Pais de cinco filhos.

 30.  Alexandre José Soares nasceu a 20 de março de 1790, na Freguesia da Amontada, Ceará, e casou-se no ano de 1812, com:

 31.  Rita Lourença da Costa, irmã consanguínea da nº 29. Pais de cinco filhos.

    

Trisavós do Major Francisco Demétrio de Souza

Paterno:

  1. Mateus Mendes Vasconcelos nasceu no mês de agosto no lugar Bouçó, e foi batizado a 15 de agosto de 1707, no Mosteiro de São Salvador, Freguesia e couto de Travanca, Concelho de Amarante, Distrito do Porto, Norte de Portugal. Faleceu na sua Fazenda Curralinho, Santana do Acaraú a 07 de janeiro de 1793. Casou-se com 36 anos de idade, a 19 de setembro de 1743, na Fazenda Tucunduba com:
  2. Maria Ferreira Pinto nasceu no ano de 1729, na Fazenda Tucunduba, Santana do Acaraú. Casou com 14 anos de idade e faleceu a 02 de julho de 1795, na Fazenda Curralinho. Mãe de sete filhos.
  3. Luís de Sousa Xerez nasceu no ano de 1726, na cidade de Goiana, Pernambuco, e faleceu a 20 de fevereiro de 1798, sendo sepultado na Capela da Bela Cruz. Vereador em Sobral. Casou-se a 20 de agosto de 1750 com:
  4. Ana Lins de Albuquerque nasceu em Moribeca, Muribeca dos Guararapes, Pernambuco e faleceu em 28 de abril de 1788, sendo sepultada na Capela da Bela Cruz. Deixou 6 filhos.
  5. Vicente Ferreira da Ponte, batizado a 26 de abril de 1742. Faleceu a 12 de junho de 1823, e foi sepultado na Capela da Santana do Acaraú. Casou-se de idade 18 anos, a 07 de julho de 1760, na Igreja Matriz de Sobral, com:
  6. Ana de Sá Medeiros nasceu no ano de 1739 e faleceu a primeiro de março de 1797, sendo sepultada na Igreja Matriz de Sobral, Ceará. Um único filho.
  7. Manoel Ferreira Fonteles Filho nasceu no ano de 1740, na Fazenda Tucunduba, Santana do Acaraú, batizado em 05 de junho de 1740. Faleceu a 18 de julho de 1795, na mesma Fazenda. Casou-se a 14 de novembro de 1755, na Capela da Bela Cruz, com:
  8. Ana Maria Dias Leitão nasceu em Pernambuco e faleceu a 19 de fevereiro de 1818. Mãe de 13 filhos.

Materno:

  1. Mateus Mendes Vasconcelos. Ver nº 32.
  2. Maria Ferreira Pinto. Ver nº33.
  3. Domingos Ferreira Gomes nasceu no ano de 1720, no Concelho de Cadaval, Distrito de Lisboa, Portugal. Faleceu a 16 de maio de 1763, na Fazenda Jacurutu, Santa Quitéria, Ceará, sendo sepultado na Capela do Riacho do Guimarães, Groaíras, Ceará. Casou-se 06 de outubro de 1750, na Fazenda Frecheiras, com:
  4. Maria Álvares Pereira nasceu a 21 de janeiro de 1730, em Granja, Ceará. Casou-se (2) a 22 de julho de 1766, com o Coronel Félix Ribeiro da Silva, natural do Concelho de Ponte de Lima, Viana do Castelo, norte de Portugal, filho de Felipe da Silva e de Francisca Pereira. Cinco filhos do (1) e quatro filhos do (2) matrimônio. Falecida em Sobral, Ceará, a 07 de janeiro de 1812.
  5. Luís Ferreira de Veras, Campo Maior, Piauí. Casou-se com:
  6. Marcolina Alves Ferreira.
  7. José Honorato Alves casou-se com:
  8. Ercília Maria Alves.

    

Trisavós de Ana Laurinda Carneiro.

Paterno:

  1. João Carneiro da Costa, Tenente, natural de Santo Amaro do Jaboatão, Pernambuco, faleceu na Fazenda Sapó, aos 25 de maio de 1758, e foi sepultado na Igreja Matriz de Sobral. No ano de 1744 casou-se com:
  2. Teresa de Jesus Vasconcelos, que se casou três vezes: (1) com Domingos Ferreira Pinto, a 25 de novembro de 1733; (2) com Manoel Teixeira Varela, a 30 de agosto de 1739, de quem herdou a Fazenda Sapó e (3) com o Tenente João Carneiro da Costa. Teresa e João, pais de três filhos.
  3. Mateus Mendes Vasconcelos. Ver nº 32 e nº 40.
  4. Maria Ferreira Pinto. Ver nº 33 e nº 41.
  5. Manoel Ferreira Fonteles Filho. Ver nº 38.
  6. Ana Maria Dias Leitão. Ver nº 39.
  7. Antônio Gomes de Albuquerque, Capitão Mor, faleceu em 26 de janeiro de 1816. Casou-se três vezes. A (2) com Maria Antônia, a (3) a 20 de março de 1814, com Maria Joaquina da Conceição, e a (1) em 21 de julho de 1781, com sua prima:
  8. Maria Teresa de Jesus, que já era viúva de João da Fonseca Álvares. Antônio Gomes de Albuquerque e Maria Joaquina, pais de quatro filhos.

Materno:

  1. Manoel Carneiro da Costa, Ajudante, ver nº 24.
  2. Rosa Maria da Conceição Vasconcelos. Ver nº 25.
  3. Manoel Lourenço da Costa nasceu a 03 de março de 1737, na Freguesia de Duas Igrejas, Concelho de Penafiel, Distrito do Porto, norte de Portugal, e foi batizado na Igreja Matriz de Santo Adrião de Canas, sede da Freguesia de Duas Igrejas. Faleceu aos 78 anos de idade no dia 26 de agosto de 1815, sendo sepultado na Capela de Santana do Acaraú. Casou-se (2) a 12 de novembro de 1788, no Sítio Santo Inácio, Serra Meruoca, Ceará, com Sebastiana Inácia Ximenes Aragão, filha de Tomé Ximenes Madeira Aragão e de Margarida Nunes Barbosa. Casou-se (1) a 05 de outubro de 1767, na citada Capela de Santana do Acaraú, Ceará, dispensado no impedimento de consanguinidade, com:
  4. Ana Maria de Vasconcelos, que nasceu na Fazenda Curralinho, no ano de 1750 e foi batizada a 27 de dezembro de 1750. Faleceu na Fazenda Olho d’Água, a 14 de abril de 1786. Mãe de 09 filhos. Irmã do nº 16, do nº 20 e da nº 25.
  5. Antônio Soares Apoliano Bulcão nasceu em Amontada, Ceará, a 16 de abril de 1761, e foi batizado a 29 de junho do mesmo ano. Vereador em Sobral. Assassinado no dia 02 de novembro de 1793, aos 32 anos de idade, por um seu escravo, no Sítio Jacu, Serra da Uruburetama. Termo de batismo."Antônio, filho legítimo de Cosme Soares Bulcão, natural da Vila de Igarassu, e de sua mulher Francisca de Medeiros, natural da Vila do Recife, neto paterno de João Soares de Vasconcelos, natural da Paraíba, e de sua mulher Dona Faustina Pereira da Cunha, natural de Igarassu, e neto materno de João Lins de Albuquerque, natural do Cabo, e de Dona Rosa Maria Ferreira, natural do Recife, nasceu aos dezesseis de abril de 1761, e foi batizado com os Santos Óleos nesta Matriz de Nossa Senhora da Conceição da Amontada a vinte e nove de junho do mesmo ano por mim João Ribeiro Pessoa, Cura da dita Igreja: foram padrinhos. O Capitão Cristóvão Pereira da Silva, casado, morador no Recife, e Dona Ana da Rocha de Menezes, casada, e moradora nesta Freguesia, de que fiz este termo no mesmo dia para constar assinei. João Ribeiro Pessoa, Cura e Vigário da Vila da Amontada.” Cf. Livro de Batismos, Amontada. Este termo permite refazer a cronologia dos seus ascendentes divulgada de forma equivocada. Casou-se, a 29 de abril de 1787, com sua prima:
  6. Teodora Inácia Teles de Menezes, batizada a 09 de abril de 1765. Mãe de quatro filhos do (1) casamento. Casou-se (2) com o também viúvo Antônio Mendes Vasconcelos, nº 20. Mãe de mais cinco filhos.
  7. Manoel Lourenço da Costa. Ver nº 58. Casou-se (1) com Ana Maria de Vasconcelos. Casou-se (2) a 12 de novembro de 1788, no Sítio Santo Inácio, Serra da Meruoca, Ceará, com:
  8. Sebastiana Inácia Ximenes Aragão nasceu na Meruoca, Ceará.

    

Tetravós do Major Francisco Demétrio de Souza.

Paterno:

  1. Mateus Mendes, natural da Freguesia de São Miguel Refojos de Basto, Concelho de Cabeceiras de Basto, Distrito de Braga, Norte de Portugal.
  2. Ana Carvalho nasceu no ano de 1680 no lugar Fonte do Mendo, e foi batizada a 14 de junho de 1680, no Mosteiro de São Salvador, Freguesia e couto de Travanca, Concelho de Amarante, Distrito do Porto, norte de Portugal. Filha de Domingos Mendes e de Ana da Silva Carvalho. Neta paterna de Diogo Mendes e de Catarina de Sousa. Neta materna de Domingos Gaspar e de Beatriz Gaspar.
  3. Manoel Ferreira Fonteles, Tenente, nasceu a 07 de março de 1687, no lugar Fontelo, e foi batizado a 10 de março do mesmo ano, na Igreja Matriz da Freguesia de Meixomil, Concelho de Paços de Ferreira, Distrito do Porto, Portugal. Filho de Domingos Velho da Cruz e de Maria Ferreira. Neto paterno de João Velho e de Maria Antônia. Neto materno de Domingos Ferreira e de Maria Antônia. Primeiro proprietário da Fazenda Tucunduba onde faleceu a 30 de abril de 1761, e foi sepultado na Capela de Santana do Acaraú. Casou-se com:
  4. Maria Pereira, natural de Pernambuco, filha de Francisco Ferreira Brandão e de mãe ainda desconhecida. Faleceu “de parto” a 28 de dezembro de 1747, na Fazenda Tucunduba, Santana do Acaraú, Ceará, deixando seis filhos.
  5. Francisco Xerez Furna nasceu em Goiana, Pernambuco, filho de Bartolomeu Rodrigues Xerez e de Eugênia Vaz da Silva, neto paterno de João de Xerez e de Joana de Castro e neto materno de Manoel Vaz Vizeu e de Maria Rosa da Rocha. Casou-se com:
  6. Inês de Vasconcelos Uchoa nasceu no ano de 1703 em Pernambuco e faleceu a 11 de dezembro de 1783, sendo sepultada na Igreja Matriz de Sobral, Ceará. Filha de Francisco Vaz Carrasco Filho e de Antônia de Mendonça Uchoa. Neta paterna de Francisco Vaz Carrasco e de Brites de Vasconcelos. Neta materna de Francisco Faria Uchoa e de Ana de Lira Pessoa. 
  7. João Lins de Albuquerque, natural do Cabo, Cabo de Santo Agostinho, Pernambuco, casado com:
  8. Rosa Maria Ferreira, natural do Recife, Pernambuco.
  9. Francisco Ferreira da Ponte e Silva, Coronel. Nasceu no ano de 1697, e foi batizado a 18 de outubro de 1697, na Freguesia de N. Senhora da Apresentação, Natal, Rio Grande do Norte. Por padrinhos Damázio Saraiva e D. Gracia do Rego. Sesmeiro, “na extrema da Boa Vista, 23.06.1746. Cf. Fco. Augusto de Araújo Lima. Famílias Cearenses Zero – SOARES e ARAÚJOS no Vale do ACARAÚ. Ed. Expressão Gráfica. Fortaleza. 2011. p. 113. Livro RN DSC031. Cf. Estado do Ceará. Datas de Sesmarias. Vol. 07. Nº 509, p. 19. Ed. Typ. Gadelha. Fortaleza. 1920/26.

   Francisco Ferreira da Ponte e Silva, filho de Gonçalo Ferreira da Ponte Sênior, sapateiro, fabricante de sola vermelha em seu Curtume chamado de São Gonçalo, Recife, primeiro matrimônio, realizado pelo Padre Paulo da Rocha de Figueiredo a 20 de abril de 1697, em Natal, Rio Grande do Norte com Maria de Barros Coutinho, filha do Sargento Mor Manoel da Silva Vieira natural de Funchal, Região Autônoma da Ilha da Madeira, e de Gracia de Barros Rego, natural da cidade de Olinda, Pernambuco. Neta paterna de Sebastião Nunes, nasceu na Freguesia de Lobos, Concelho de Câmara de Lobos, Ilha da Madeira, Deputado português, 8 de maio 1649 e de Beatriz Vieira da Silva. Neta materna de Lázaro de Barros Catanho, pernambucano e de Custódia Coutinho. Lázaro e Custódia se tem a ascendência do casal. Por testemunhas na cerimônia religiosa do casamento de Gonçalo e Maria, D. Francisca Ponce de Leon, Bernardo Vieira de Mello e Antonio Tavares de Mello. Francisco Ferreira d Ponte e Silva, neto paterno de Francisco Ferreira {da Ponte}, sapateiro, batizado a 26 de maio de 1639, em Angra do Heroísmo, Ilha Terceira, Açores, e de Isabel Nunes, n. Ipojuca, Pernambuco. Francisco Ferreira (da Ponte} casou-se a 19 de dezembro de 1666, com D. Isabel Nunes, moradores na Ponte, nas Cinco Pontes, Rua da Senhora da Penha de França, Recife.  FONTE:  Fragmentos Livro RN - DSC03161. LRN 1º fl. 15,86,185, à Pesquisa Fábio Arruda de Lima & Fco. Augusto de Araújo Lima - FAAL .

   Francisco Ferreira da Ponte e Silva residente na Fazenda Curral Grande, faleceu a 1º de novembro de 1758, e foi sepultado na Matriz de Sobral, das “grades para cima”. Casou-se a 20 de setembro de 1738 na Igreja Matriz de Sobral, com:

  1. Maria Madalena de Sá de Oliveira, uma das Sete Irmãs, filha de Manoel Vaz Carrasco, segundo casamento com Madalena de Sá. Neta paterna de Francisco Vaz Carrasco e de Brites de Vasconcelos e neta materna de Nicácio de Aguiar de Oliveira e de Madalena de Sá. Faleceu “de parto” na Fazenda Lagoa Seca, Bela Cruz, em 16 de março de 1743, sendo sepultada na Capela da Senhora Santana do Olho d’Água, Santana do Acaraú. Deixou quatro filhos.
  2. Tomás da Silva Porto, natural da cidade do Porto, Portugal, e filho de Mateus da Silva e de Francisca de Sousa. Casou-se a 18 de maio de 1738, no Sítio Frecheiras, com:
  3. Nicácia Alvares Pereira, irmã da nº 43 e filha de Matias Pereira de Carvalho e de Micaela da Silva Medeiros. Mãe de oito filhos.
  4. Manoel Ferreira Fonteles. Ver nº 66.
  5. Maria Pereira. Ver nº 67.
  6. Ângelo Dias Leitão, Alferes, nasceu no ano de 1689, na cidade da Paraíba, João Pessoa, Paraíba, e um dos primeiros brancos moradores, no Cocó, atual Praia do Futuro, então “arrabalde da Fortaleza”. Casado com:
  7. Rosa Maria Ferreira, mãe de mais de quatro filhos.

Materno:

  1. Mateus Mendes. Ver nº 64.
  2. Ana Carvalho. Ver nº 65.
  3. Manoel Ferreira Fonteles, ver nº 66.
  4. Maria Pereira, ver nº 67.
  5. Valentim Ferreira, do Concelho e Distrito de Leiria, Portugal.
  6. Isabel de Assunção, natural do Concelho de Cadaval, Distrito de Lisboa, Portugal.
  7. Matias Pereira de Carvalho nasceu aos vinte e quatro dias do mês de fevereiro de 1683, no Distrito de Vila Real, Portugal. Nas eras de 1730, era morador no Sítio Frecheiras. Obs.: Matias, e mãe incógnita, pais de Agostinho Álvares de Oliveira nasceu na Freguesia de N. Senhora da Conceição da Caiçara, Sobral, e casou-se a 23 de janeiro de 1769, na Freguesia de N. Senhora da Assunção de São José do Ribamar, Fortaleza, com Irana Maria, n. Siupé, filha de Lázaro Gonçalves Martins e de Margarida Pereira. A nubente viúva de Manoel da Fonseca.  Cf. Livro Casamentos, São José, Fortaleza.
  8. Micaela da Silva Medeiros, natural de Igarassu, Pernambuco e filha de Tomás Pereira Veras e de Joana da Costa Medeiros, ambos naturais do Porto, Portugal. Micaela mãe de quatro filhos.

88.-95. Ainda não foram identificados.

    

Tetravós de Ana Laurinda Carneiro.

Paterno:

  1. Diogo da Costa Calheiros, Alferes, natural de Santo Amaro de Jaboatão, Pernambuco. Casado com:
  2. Joana Carneiro Brito, nascida em Santo Amaro de Jaboatão, Pernambuco.
  3. Cosme Frazão de Figueroa nasceu no ano de 1692 na Paraíba. A 18 de março de 1762, faleceu na Fazenda Sapó, Ribeira do Acaraú, onde residia. Sepultado na Igreja Matriz de Sobral. Casou-se com:
  4. Maria de Vasconcelos Coelho, que nasceu no ano de 1689, na Paraíba, e faleceu em 10 de maio de 1779, na Fazenda Sapó, e foi sepultada na Igreja Matriz de Sobral, Ceará. Mãe de quatro filhos.
  5. Mateus Mendes, ver nº 64 e nº 80.
  6. Ana Carvalho, ver nº 65 e nº 81.
  7. Manoel Ferreira Fonteles, ver nº 66, nº 76 e 82.
  8. Maria Pereira, ver nº 67, nº 77 e nº 83.
  9. Manoel Ferreira Fonteles, ver nº 66, nº 76, nº 82 e nº 102.
  10. Maria Pereira, ver nº 67, nº 77, nº 83 e nº 103.
  11. Ângelo Dias Leitão, ver nº 78.
  12. Rosa Maria Ferreira, ver nº 79.
  13. Caetano Gomes da Silva nasceu no ano de 1716, no Concelho e Distrito de Lisboa, Portugal, filho do Capitão João de Albuquerque Cavalcante e de Maria de Almeida Silva. Dono de várias propriedades morou na sua Fazenda da Várzea Redonda, Ribeira do Acaraú e no Sítio Cajueiro, na Serra da Meruoca, aonde veio a falecer no dia 19 de julho de 1776. Casou-se na Fazenda Sapó, em 15.01.1742. Termo de casamento: “Aos quinze dias do mês de janeiro de 1742, na Fazenda chamada Sapó, desta Freguesia, corridos os banhos, sem impedimentos como consta da certidão que fica em meu poder, em presença do Padre João Salvador de Aranda, de minha licença, e das testemunhas o Coronel Francisco Ferreira da Ponte e Silva, o Tenente Manoel Ferreira Fonteles, pessoas conhecidas e moradoras nesta Freguesia, Zé receberam solenemente por palavras de presente, na forma do Sagrado Concílio Tridentino, Caetano Gomes da Silva, filho do Capitão João de Albuquerque Cavalcante, já defunto, e de sua mulher Maria de Almeida Silva, natural da Freguesia de Ipojuca, com Francisca Maria de Vasconcelos, filha do Alferes Cosme Frazão de Figueiroa e de Maria de Vasconcelos e Alvarenga, naturais da Paraíba, e moradores nesta Freguesia de Nossa Senhora da Conceição do Acaracu, (Acaraú), e logo receberam as bênçãos nupciais: que fiz este assento que assinei. O Padre Lourenço Gomes Lelou. Cura e Vigário da Vª do Acaracu.” Cf. Livro de Matrimônios, Sobral. 
  14. Francisca Maria de Vasconcelos, irmã da nº 49 e filha de Cosme Frazão de Figueroa e de Maria Coelho de Vasconcelos. Mãe de oito filhos.
  15. João Carneiro da Costa, ver nº 48.
  16. Teresa de Jesus Vasconcelos, ver nº 49.

Materno:

  1. João Carneiro da Costa, ver nº 48.
  2. Teresa de Jesus Vasconcelos, ver nº 49.
  3. Mateus Mendes Vasconcelos, ver nº 32, nº 40 e nº 50.
  4. Maria Ferreira Pinto, ver nº 33, nº 41 e nº 51.
  5. Manoel Lourenço da Costa, natural da Freguesia de Duas Igrejas, Concelho de Penafiel, Distrito do Porto, Portugal. Casou-se com:
  6. Suzana Lourenço da Costa, de naturalidade igual a do seu marido.
  7. Mateus Mendes Vasconcelos, ver nº 32, nº 40, nº 50 e nº 114.
  8. Maria Ferreira Pinto, ver nº 33, nº 41, nº 51 e nº 115.
  9. Cosme Soares Bulcão nasceu no ano de 1740, em Igarassu, Pernambuco, filho do Tenente Coronel João Soares Vasconcelos e de Faustina Pereira da Cunha. Neto paterno de João Soares Avelar e de Isabel de Vasconcelos e neto materno de Manoel Pereira Bulcão e de Isabel da Cunha Bandeira. Casou-se com:
  10. Francisca de Medeiros Albuquerque nasceu em Moribeca, Muribeca dos Guararapes, Pernambuco, irmã da nº 35 e filha de João Lins de Albuquerque e de Rosa Maria Ferreira.
  11. Gabriel Cristóvão de Menezes, natural da Freguesia de Faial, Concelho de Santana, Distrito de Funchal, Região Autônoma da Ilha da Madeira, Portugal. Filho de Antônio Muniz Barreto e de Teodora Teles de Menezes. Casou-se (1) na Capela de N. Senhora da Assunção de São José do Ribamar, Fortaleza, Ceará, a 19 de junho de 1730, com Bernarda Correia de Araújo, filha de Brás Correia de Araújo e de Ana da Rocha Sampaio. O segundo casamento realizado a 29 de outubro de 1763, na Capela de Santa Cruz d’Água das Velhas, (entre os Rios Aracatiaçu e o Aracati - mirim) com:
  12. Rosa de Santa Maria Lins, irmã da nº 35 e da nº 121 e filha de João Lins de Albuquerque e de Rosa Maria Ferreira. Rosa de Santa Maria Lins, mãe de cinco filhos.
  13. Manoel Lourenço da Costa, ver nº 116.
  14. Suzana Lourenço da Costa, ver nº 117.
  15. Tomé Ximenes Madeira Aragão, Capitão, natural de Pernambuco, e filho de João Dias Ximenes de Galegos e de Sebastiana de Vasconcelos, uma das Sete Irmãs. Neto paterno de Domingos de Santiago Montenegro e de Lourença de Aguiar Dias Ximenes e neto materno de Manoel Vaz Carrasco, primeiro casamento com Luzia de Sousa. Tomé Ximenes Madeira Aragão casou-se com:
  16. Margarida Nunes Barbosa, de Igarassu, Pernambuco, filha de Cipriano Barbosa Pereira e de Beatriz Nunes Barbosa.

                                                                                                       

  Este trabalho tem a marca do Monsenhor Francisco Sadoc de Araújo. O Monsenhor Sadoc, soube reunir, as informações existentes na Ribeira do Acaraú e sistematizou os dados genealógicos dos Livros Eclesiais. E ao escrever, a sua Cronologia Sobralense, cinco volumes, permitiu que acontecesse a continuidade ao seu trabalho, inclusive ao se elaborar árvores de costado como a agora apresentada.

Fonte primária informada e:

  1. Fonseca, Antônio José Victoriano Borges da, Nobiliarchia Pernambucana. Dois Volumes. Biblioteca Nacional. 1935. Rio de Janeiro. 984 páginas.
  2. STUDART, Guilherme. Barão de. Diccionário bio-bibliografico cearense. Fortaleza. Typo-Litografia a Vapor. 1910. Vol. 1º. 524 p.

. Diccionário bio-bibliografico cearense. Fortaleza. Typo-Litografia a Vapor. 1913. Vol. 2.º 530 p.

. Diccionário bio-bibliografico cearense. Fortaleza: Typ. Minerva. 1915. Vol. 3º. 325 p.

  1. JABOATÃO, Antônio de Santa Maria - Frei. Catálogo genealógico das principais famílias. 2 Vol. Salvador, Bahia. Empresa Gráfica da Bahia. Anotado por Pedro Calmon. 1985. 1.300 p.
  2. ALMEIDA, João Mendes de. Algumas notas genealógicas. São Paulo:Typ. Baruel, Pauperio. 1886. 498 p.
  3. MARTINS da COSTA, Vicente - Mons. Homens e vultos de Sobral. 2ª ed. Fortaleza. NUDOC. UFC/Stylus. 1989. 361 p.
  4. FROTA, José Tupynambá da - Dom . História de Sobral. Fortaleza. Pia Sociedade de São Paulo. 1953. 700 p.
  5. LINHARES, Mário Rômulo. Os Linhares. Rio de Janeiro. Irmãos Pongetti Editores. 1954. 228 p.
  6. Gentil, Padre José da Frota, Os Frotas. Gráfica Barbero S.A. Rio de janeiro. 1967. 882 p.
  7. ARAGÃO, Jarbas Cavalcante de. Colonização do nordeste. Rio de Janeiro. Laudes. 1969. 409 p.
  8. BULCÃO, José Pedro Soares. Anastácio Braga. Typ. Minerva. Fortaleza. 1928. 156 p.
  9. ARAÚJO, Francisco Sadoc de - Cônego.Cronologia sobralense. Fortaleza. Gráfica Editorial Cearense. 1974. v.1, 361 p.

. Cronologia sobralense. Sobral. UVA, Imp. Universitária. 1979. v.2, 347 p.

. Cronologia sobralense. Sobral: UVA, Imp. Universitária. 1983. v.3, 346 p.

. Cronologia sobralense. Sobral: UVA, Imp. Universitária.1985. v. 4, 327 p.

. Cronologia sobralense. Sobral: UVA, Imp. Universitária.1990. v.5, 268 p.

  1. Melo, Hélio - Minha Mãe. S.E. Fortaleza. 1992. 20 páginas.
  2. ARAÚJO LIMA, Francisco Augusto de. Famílias Cearenses Zero. Os Soares e Araújos no Vale do Acaraú. Fortaleza. Ed. Carvalho Serviços Gráficos. 1989. 134 p. 2ª Edição. Editora Expressão Gráfica. Fortaleza. 2011. 286 p.